Bombeiros reforçam segurança de banhistas em Canasvieiras após morte de turista gaúcho
capa

Bombeiros reforçam segurança de banhistas em Canasvieiras após morte de turista gaúcho

Anderson Francisco de Souza Martin, 51 anos, caiu em "buraco" no mar, que teria sido provocado por dragagem no local

Por
Correio do Povo

Dragagem é realizada na praia de Canasvieiras para alargamento da faixa de areia

publicidade

Após a morte do turista gaúcho Anderson Francisco de Souza Martin, 51 anos, nessa terça-feira, o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina reforçou a segurança dos banhistas na praia de Canasvieiras, no Norte da Ilha de Florianópolis. Segundo o jornal Notícias do Dia, a vítima caiu em um "buraco" no mar, algo incomum naquela região, possivelmente formado em consequência da dragagem que está sendo realizada para o alargamento da faixa de areia. 

“Com a draga, há uma mudança na dinâmica marítima. A draga faz um banco lá adiante, alternando a dinâmica do local e fica um buraco. E não tem como prever o tamanho dele. Nós já pedimos à nossa equipe técnica para estudar o que de fato mudou e sinalizar. Será feito um Relatório de Investigação de Afogamento (RIA) mas tenho elevada suspeita que pode ter ficado um barranco ali na região”, declarou à publicação o comandante da 1ª Região dos Bombeiros em Santa Catarina, coronel César Assumpção Nunes. 

O local onde ocorreu a morte do turista gaúcho estava desprotegido de posto salva-vidas e não havia bandeira vermelha. Residente em Porto Alegre, a vítima estava acompanhada da filha e do genro. “Nós determinamos a nossa presença ali com guarda-sol, mesmo ainda sem “cadeirão” ou o posto”, destacou o oficial. As obras de ampliação da faixa de areia em Canasvieiras começaram em agosto deste ano e deve ficar concluída até o final de janeiro do próximo ano.