Feira do Sabor Gaúcho faz balanço positivo em Torres
capa

Feira do Sabor Gaúcho faz balanço positivo em Torres

Sétima edição do evento ofereceu produtos de agricultura familiar no veraneio

Por
Correio do Povo

Sétima edição do evento ofereceu produtos de agricultura familiar no veraneio

publicidade

Após cinco dias, terminou neste domingo a 7ª edição da Feira Estadual da Agricultura Familiar, a Feira do Sabor Gaúcho, em Torres. Durante o evento, moradores e turistas tiveram a oportunidade de encontrar uma diversidade de produtos, como queijos, salames, biscoitos, doces, vinhos, sucos naturais, artesanatos, flores, e outros produtos.

A feira foi promovida pela Fetag-RS, Prefeitura de Torres, Emater/RS, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, e contoou com o patrocínio do Banrisul e Sicredi. “Esta edição contou com 36 agro-indústrias expositoras, sendo três locais”, disse o coordenador do escritório municipal da Emater, Jânio Rodrigues Pintos. “Esta época foi propícia para a realização da feira, pois neste período de veraneio temos um público de poder aquisitivo elevado, e que procurou produtos de qualidade, de diversidade muito grande”, reforçou Jânio. “Até tínhamos antes do início um pouco de receio quanto ao sucesso, porque o verão está um pouco fraco. Só que conversando com os expositores, ficamos sabendo que todos ficaram satisfeitos com as vendas”, contou.

Já o assessor da Fetag, Jocimar Rabaioli, reforçou, dizendo que os moradores de Torres e veranistas abraçaram o evento anual. “Isto é importante para que continuemos com ele. Muitas pessoas até pedem que ampliemos para mais dias, mas ainda é inviável”, relatou. E mais dias é o que queria a administradora Rochele Bitencourt, moradora de Torres. “Esta feira foi muito boa. Mas acho que deveria ficar mais tempo, pois cinco dias é muito pouco. Comprei, além do sorvete, queijos, geleias. Venho todos os anos”, garantiu.

O casal Frederico e Cinara Langbehn, moradores de Passo de Torres, garantiram que estiveram presentes nas sete edições da feira. “O atendimento é ótimo, os produtos são excelentes”, afirmou Frederico. “E sabemos que ele beneficia a agricultura familiar”, disse Cinara, que mostrou as compras do dia: cuca e salames. “E como moradores locais, acho que deveriam ter mais feiras deste tipo no munícipio”, encerrou.

O expositor Raul César Gelinger, do Colonial Gelinger 1951, da localidade de Morro Negro, no interior de Parobé, especializado em rapaduras e melados, ficou feliz com a feira. Afinal, a meta que a empresa pretendia alcançar foi obtida. “Queríamos chegar a R$ 1 mil e vendemos R$ 985,00”, comemorou.

Por sua vez, a expositora Osvaldina Bocker, da Pescados Bocker, de Santo Antônio de Patrulha, participou pela primeira vez da feira. A especialidade da empresa são os filés de pescado tilápia. “Este peixe é diferente, pois não é de lagoa e nem de rio, e sim criado em tanques, propiciando um sabor diferenciado”, ensinou. Ela só lamentou pelas vendas baixas por causa do calor. De acordo com Osvaldina, como as pessoas estão passeando e não vão direto para casa, evitam adquirir o produto, que não pode ficar muito tempo fora do gelo.