Guarda-vidas interditam área para prática de esportes aquáticos
capa

Guarda-vidas interditam área para prática de esportes aquáticos

Bandeiras de cor preta foram colocadas no local, entre as guaritas 80 e 81

publicidade

Uma rede de pesca com cabo presa na divisa das praias de Capão da Canoa e Atlântida obrigou o Corpo de Bombeiros Militar a interditar a área das guaritas 80 e 81 para a prática de surfe e esportes aquáticos no Litoral Norte. Na quarta-feira, após duas tentativas frustradas para retirar o equipamento – que está localizado a cerca de 200 metros da costa – os bombeiros encerraram as atividades. Nesta quinta-feira, com a ajuda de uma embarcação, uma nova operação será realizada para fazer a remoção do material.

Para evitar que esportistas acessem o local, bandeiras da cor preta, que sinalizam local de risco de morte, foram colocadas na beira da praia. De acordo com o comandante da 1º Companhia de Guarda-Vidas Militar, major Lúcio Junes Lemes da Silva, a sinalização e a interdição da área seguem até a retirada da rede. "Tentamos por duas vezes fazer a remoção, mas o cabo acabou arrebentando. Amanhã (quinta-feira) a ideia é contar com auxilio de uma embarcação para tentar colocá-la para cima ou novamente tentar fazer a retirada", alerta.

O oficial explica que os guarda-vidas foram alertados há dois dias sobre a presença da rede em alto-mar. A orientação é para que surfistas e praticantes de outros esportes aquáticos evitem entrar naquela região. "Vamos fazer uma análise melhor e tentar colocar para cima novamente, mas o que dificulta é o calão, que deve estar bem enterrado na areia. Isso dificulta a retirada", argumenta.