Peixe Pet: Ecoponto de coleta de garrafas plástica vira sucesso em Imbé
capa

Peixe Pet: Ecoponto de coleta de garrafas plástica vira sucesso em Imbé

Iniciativa deve ser ampliada a outras praias da cidade no próximo verão

Iniciativa deve ser ampliada a outras praias da cidade no próximo verão


publicidade

Da necessidade de educação ambiental dos banhistas que frequentam as praias de Imbé nasceu a ideia de produzir um ponto de coleta de um dos materiais mais nocivos ao meio ambiente encontrados nas areias do Brasil: a garrafa plástica, popularmente conhecida como garrafa PET. O Peixe PET, ecoponto para coleta exclusiva do material, instalado nos primeiros dias do ano junto à Guarita Central 133 da beira-mar, no Centro, já ganhou a simpatia dos moradores e veranistas, e deve ser expandido a outras praias da cidade a partir da próxima temporada.

Apesar do nome complicado, o politereftalato de etileno (PET) é o melhor e mais resistente plástico para embalagens de refrigerantes, águas, sucos e muitos outros produtos frequentemente consumidos na beira-mar. E é aí que mora o perigo: a destinação deste material, em muitos casos, acaba sendo a areia, o mar e, consequentemente, as espécies marinhas, que o confundem com alimento. “Foi para diminuir o impacto deste tipo de poluição dos oceanos que criamos esta ideia do Peixe PET. É uma iniciativa pioneira na área da conscientização e da educação ambiental no litoral gaúcho”, explica o prefeito Pierre Emerim.

A estrutura construída pelas secretarias de Obras e Viação (SMOV) e de Meio Ambiente, Pesca, Proteção Animal e Agricultura (SEMMAPA) ficará no local até o final da temporada de verão, quando o movimento na orla tende a diminuir. Depois será removida para evitar a deterioração e até uma eventual depredação. E se multiplicará na próxima temporada, antecipa a bióloga Nélida Pereira. “A ideia é disponibilizar mais três ou quatro estruturas iguais a esta em outros balneários da nossa cidade, ampliando o trabalho de conscientização”, afirma a servidora da SEMMAPA.


As garrafas recolhidas no Peixe PET serão encaminhadas às associações de reciclagem e de artesões cadastradas no município até o início da coleta seletiva no município, que está em fase final de implantação.