Pelo menos três caravelas-portuguesas são encontradas na beira-mar de Nova Tramandaí
capa

Pelo menos três caravelas-portuguesas são encontradas na beira-mar de Nova Tramandaí

Corpo de Bombeiros diz que baixa ocorrência não traz nenhum risco aos banhistas

Por
Correio do Povo

Corpo de Bombeiros diz que baixa ocorrência não traz nenhum risco aos banhistas


publicidade

Pelo menos três caravelas-portuguesas – organismo marítimo – foram encontradas por guarda-vidas, na última sexta-feira, próximas a duas guaritas no balneário de Nova Tramandaí, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul. Segundo o major Antunes, responsável pela Operação Verão no Litoral gaúcho, a baixa incidência do animal não traz nenhum risco aos banhistas. Ainda segundo Antunes, a probabilidade é que o animal tenha vindo de Santa Catarina – com grande registro de aparições nesta época do ano – e tenha chegado ao litoral gaúcho já sem vida. Os guarda-vidas seguem monitorando as praias diariamente e sinalizando, com bandeiras roxas, pontos da praia onde os banhistas devem ter mais atenção. 

As caravelas-portuguesas, de cor azulada, encontradas, segundo o major, tinham de 30 a 40 centimentos de um único filamento. Os cuidados e as medidas de saúde com o animal são os mesmos da água-viva. Ambos provocam queimaduras, com sensação de ardência e desconforto, ao entrar em contato com a pele. Entretanto, a caravela-portuguesa pode provocar uma reação alérgica mais intensa. 

Sobre o recebimento de um novo lote de vinagre, após o estoque ter esgotado na última semana de dezembro, o major Antunes disse que o produto ainda não chegou nas guaritas. Segundo ele, a previsão é para esta semana. Enquanto isso, a recomendação é que os banhistas carreguem seu próprio vinagre, dentro de um borrifador, para a praia. 

Veja algumas dicas

• Após o primeiro sinal de desconforto ou ardência na pele saia imediatamente da água;
• Esfrie o local com a própria água do mar;
• Não use água da torneira para esfriar o local. A presença do cloro na água potencializa a queimadura. Se for usar gelo no local, enrole-o em uma sacola plástica para não haver o contato direto com a pele;
• Não tentar remover a água-viva, caso ela fique presa na pele. A remoção de forma errada pode aumentar a queimadura. A remoção do animal só é feita pelo guarda-vida na guarita da praia;
• Não mexa em nenhuma água-viva que estiver na areia. Mesmo fora d'água, ainda pode haver possibilidade de queimadura;
• Após os primeiros socorros, procure um médico – principalmente se a queimadura for em crianças. Nenhuma medida substitui o cuidado médico;
• Borrife vinagre sobre a queimadura para aliviar os sintomas de ardência.