capa

Sítio Cascata da Borússia é opção para se conectar com a natureza

Duas das três cascatas existentes são propícias ao banho em Osório

Por
Chico Izidro

Sítio funciona no verão, das 8h30min às 18h30min

publicidade

Localizado em Osório, o Sítio Cascata da Borússia é um excelente lugar para se conectar com a natureza, descansar da correria do dia à dia e passear com a família. Com uma ótima infraestrutura, no meio de uma vasta vegetação, mas também com restaurante, churrasqueiras. "Os turistas podem se banhar, ficar bem à vontade. Enfim, um lugar para a pessoa ficar relaxada, pois é tranquilo e agradável de se passar o dia", garante o administrador Arlan Bertoli. 

O sítio funciona no verão, chamado de alta temporada (da segunda quinzena de dezembro ao final de fevereiro), das 8h30min às 18h30min, mas dependendo do dia, os visitantes recebem uma tolerância de meia-hora. Já na baixa temporada, o atendimento funciona das 9h às 18h. 

A entrada por pessoa custa R$ 15,00. São três cascatas existentes, duas propícias ao banho: a cascata da Borússia, com águas chegando até os seis metros de profundidade. Porém um monitor e também guarda-vidas, Paulo Eduardo Cardozo, fica no local cuidando e avisando onde são os pontos de risco. E a Cascatinha, para as crianças. "Já a cascata da Santinha o banho não é aconselhado, pois tem muita madeira trancada e muito fundo, de seis a oito metros de profundidade", alerta Bertoli. 

O sítio começou a atender o público em 1996. "No começo, o ingresso era de R$ 1,00", recorda Bertoli, neto do proprietário original do lugar, um italiano que veio de Bérgamo, ainda nos anos 1930. "Aqui era um lugar onde se criava gado. Muita gurizada vinha se banhar nas cascatas, e ele não gostava, tanto que até tentou dinamitar o lugar para impedir que o pessoal se banhasse", diverte-se. 

Arlan diz que trabalhar no sítio é algo que não tem preço. "Como todo trabalho tem seus altos e baixos, mas a qualidade de vida é incrível", afirma. "A gente trabalha em prol da natureza. E o trabalho praticamente não para. Diariamente temos de fazer a limpeza, retirada de lixo", conta o administrador, que durante um período foi motorista de lotação, mas desistiu depois de ser assaltado num final de linha por um garoto armado. Além dele, trabalham outras sete pessoas, todos da família, com exceção do guarda-vidas. 

O sítio recebe diariamente entre 50 e 100 visitantes. "Além dos banhos, o pessoal tem lugar para fazer churrasco, e aqui é proibido som mecânico. Aqui é feito para escutar o som das águas, dos pássaros", garante. 

E os turistas realmente ficam maravilhados com o lugar. Tiram fotos, caminham ao lado dos familiares, tomando chimarrão. "Este lugar é show de bola", dispara Daniel Rosa da Silva, ao lado da esposa Pâmela Castro e do filho Christoper, de Gravataí. "Já tinhamos vindo uma vez, há vários anos. E agora decidimos voltar. É muito lindo", garante. "Viemos passar o dia aqui,  curtindo. E depois tomar um banho. A gente adora demais a natureza e saímos daqui renovados. Aliás, vamos embora, mas com vontade de não sair", encerra. 

 A esposa de Glauco Amaral descobriu o sítio pesquisando na internet sobre pontos turísticos de Osório. "Ela me mostrou e fiquei fascinado. Então juntamos a família e nos tocamos para cá", disse o morador de São José do Norte. Por sua vez, Jociane Opitz, de Portão. afirma que é a primeira vez que visita o local. "Já conhecia de tanto que me falavam daqui. Mas nunca houve a oportunidade, até agora", conta. Porém, ela lamentou que com o tempo escasso, a família não iria ficar muito tempo, pois teria de retornar para casa.