capa

É salutar cuidar da qualidade dos relacionamentos, ter metas e expressar gratidão

publicidade

Especialistas dão dicas de como viver melhor, ter escolhas mais assertivas e levar a vida de forma mais leve. Nesta época do ano, é comum fazermos um balanço de nossas atitudes e também projetar novas possibilidades de conquistas. Eis algumas orientações:


Estabeleça, planeje e organize metas de forma positiva – tão tradicionais quanto pular ondas e vestir branco, as listas de desejos e objetivos para o novo ano devem ser vistas de uma forma um pouco diferente. Pense em cada item com comprometimento e consciência, faça projeções e defina metas detalhadas, concretas e viáveis. Não torne sua lista uma fonte de frustrações ou um documento de como você não consegue concluir o que planeja. "Planejar e realizar gera emoções e substâncias químicas que, ao contrário da frustração, nos impulsionam a realizar ainda mais", explica Flora Victoria, mestre em Psicologia Positiva Aplicada, pela Universidade da Pensilvânia. Ela é autora de cinco livros, dentre eles "Semeando Felicidade", "Diário da Felicidade" e "Florescimento na Prática", que são focados nos conhecimentos e fundamentos da psicologia positiva.

Cuide da qualidade dos seus relacionamentos – relacionamentos não são apenas os vínculos amorosos. Relacionamentos são todas as relações interpessoais que desenvolvemos diariamente em todas as esferas davida; no trabalho, na academia, na faculdade, em casa, com o marido, com os familiares, com amigos, com vizinhos. "Trabalhar a qualidade destes relacionamentos é pensar em relações de troca no melhor sentido "ganha-ganha" e, muitas vezes, no sentido altruísta, quando as pessoas com quem nos relacionamos precisam mais de nós por alguma razão . Um indivíduo com uma boa rede de relacionamentos saudáveis tem grandes chances de viver com mais qualidade e bem-estar do que quem não possui isso", explica Victoria, hoje, a maior especialista brasileira em Psicologia Positiva Aplicada.

Aprenda a ver o stress como algo positivo e saiba lidar com ele – o senso comum diz que o stress é algo negativo e deve ser combatido. Para a psicologia positiva, ele é positivo e tem uma função importante. O problema principal, no entanto, é não ter tempo hábil para se recuperar de momentos de sobrecarga. "Gosto de usar com meus clientes a analogia de que o corpo humano é uma bateria. Quando carregada, você pode usar em plena capacidade. Quando descarregada, precisa de uma nova energia para então ser usada novamente em plena capacidade", revela Marcelo Bueno, trainer e master coach da SBCoaching especializado em psicologia positiva.



 

Conviva com as emoções de forma inteligente e produtiva – atualmente somos estimulados, em muitas situações, a não sermos emotivos. Que a razão está sempre ao lado da prosperidade. Já para a psicologia positiva, a combinação de razão e emoção é o melhor caminho. "A emoção é vista como algo inerente à condição humana e, por isso, não pode ser desconsiderada. Basta usa-la de forma consciente, a seu favor. Inclusive, resiliência – capacidade de voltar ao estado normal - é uma das competências mais valiosas que podemos adquirir nesta área", afirma Flora Victoria.

Pratique diariamente a gratidão – para muitos, ser grato é algo óbvio. Para outros, algo bobo. Alguns, por sinal, nunca pararam para pensar sobre. Mas ser grato pelo que já temos e nos é valioso, independente da natureza, seja um filho, um livro, um amigo, um animal de estimação, tudo isso nos faz ter uma outra relação com o mundo ao redor, além dos aspectos biológicos. "No POEX, primeiro congresso de imersão na felicidade que aconteceu no Brasil, eles nos passaram uma técnica simples e bastante eficaz: as cartas da gratidão. Para nos habituarmos , devemos fazer cartas simples, no começo ou final do dia, por coisas que somos gratos. É impressionante como isso altera o mindset e gera, sem dúvidas, resultados concretos e prosperidade em diferentes áreas da vida", conta Bueno.

Sabe aquele voto de final de ano "Feliz Natal e Próspero Ano Novo"? Você já parou para pensar sobre? Ele está intimamente ligado à esperança que se renova , a cada início de ano, de que seja melhor que o anterior. Muitas vezes, essa esperança é traduzida em listas de desejos e metas, que, poucos meses, depois tornam-se fontes de decepção, frustração ou, no melhor dos casos, esquecimento.