Como manter a imunidade alta, explica nutricionista

Como manter a imunidade alta, explica nutricionista

Janaína Czarbonai Gonçalves, que atua na consultório CzarNutri, destaca que é fundamental nos mantermos saudáveis e cuidadosos com a nossa alimentação, ter repouso adequado, hidratação, atividade física e saúde mental

Correio do Povo

publicidade

A humanidade está passando por uma grande e séria epidemia chamada coronavírus (Covid-19). Conforme os especialistas, esse vírus penetra pela mucosa da boca, nariz, olhos e atua principalmente nas vias respiratórias. Sua transmissão é muito acelerada e pode trazer sérias consequências. No grupo de risco em relação ao Covid-19 encontram-se pessoas idosas, diabéticas, hipertensas, pessoas com insuficiência renal crônica, doenças respiratórias crônicas, doenças cardiovasculares, imunodeprimidos, gestantes, fumantes e obesos (visto que a obesidade está diretamente associada ao aparecimento de doenças crônicas em geral). Ainda não há nenhum tipo de tratamento específico tampouco vacinas, restando assim apenas tratamentos paliativos, que têm a sua eficiência determinada de acordo com o sistema imunológico de cada um. 

Nesse sentido, de acordo com a nutricionista Janaína Czarbonai Gonçalves, que atua na consultório CzarNutri, nos mantermos saudáveis e cuidadosos com a nossa alimentação, repouso, hidratação, atividade física e saúde mental se torna fundamental neste momento.

Conforme Janaína, nosso sistema imune se divide em dois tipos de respostas: a inata ou natural e a adquirida ou adaptativa. A imunidade inata é uma das primeiras linhas de defesa do nosso organismo e devido ao nosso microbioma intestinal, o intestino é o nosso centro e atividade de imunidade inata. Portanto, manter a saúde dessas bactérias se torna necessário na eficiência das nossas respostas imunológicas.  A nutricionista explica que, para favorecer a saúde dessas bactérias, uma das maneiras é adicionar às refeições alimentos prebióticos, ou seja, fibras solúveis não digeríveis em qualquer das etapas do processo digestivo, resistentes à ação de enzimas. Esse grupo de alimentos deixa as suas próprias bactérias mais resistentes e saudáveis e nesse sentido entre as fontes  alimentares estão biomassa de banana verde, chicória, alho, cebola, aveia. Há também, segundo Janaína, os alimentos probióticos, ou seja, ricos em micro-organismos vivos,que contribuem para repovoar o seu próprio microbioma. Fontes alimentares: Kefir. Kombucha, coalhada.

A especialista explica que o consumo de algumas vitaminas e minerais podem ser eficientes no estímulo das defesas do nosso organismo e podem contribuir para manter em alta a imunidade do corpo. Algumas delas são:

Vitamina A- Ação anti-infecciosa, ela contribui na manutenção e ação de células da pele e da mucosa, que revestem as vias respiratórias, aparelho digestivo e trato urinário. Atuando como uma barreira, sendo umas das linhas de defesa contra infecções. Fontes alimentares: batata doce, abóbora, repolho cozido, couve-manteiga, cenoura, pimentão, manga, bife de fígado, atum, salmão, ovos, queijo minas.

Vitamina D3- Conforme alguns estudos atuais a Vitamina D não é capas de gerar a cura ao Covid-19, mas pode ser uma eficiente ferramenta para reduzir fatores de risco. Essa vitamina tem importante ação na modulação do sistema imune. Umas das maneiras mais eficientes e obtela, é através da exposição solar. A indicação é de 15 a 20min nos horários de sol mais forte que seriam das 11 às 14:00h. Não existe a necessidade de exposição de todo o corpo, a exposição de antebraços, por exemplo, já seria eficiente. Fontes alimentares: salmão, ovos, sardinhas, fígado de galinha e fígado de bovino assado.

Vitamina C- Umas das vitaminas mais associadas a ação antigripal, ela acelera a cicatrização, reduz a suscetibilidade a infecções, aumenta os níveis de anticorpos, potencializa o sistema imunológico, protege as células e combate os efeitos dos radicais livres. Fontes alimentares: cúrcuma, laranja, limão, melão, acerola, kiwi, morango, manga, abacaxi, acerola, tomate, caju, tangerina, brócolis, espinafre.

Vitamina E- Vitamina antioxidante, atua na prevenção de radicais livres, mantendo assim a saúde das nossas células, sendo eficiente também em tratamentos para doenças cardiovasculares. Fontes alimentares: semente de girassol seca ou torrada, amêndoa, óleo de girassol, óleo e cártamo, avelã e amendoim.

Zinco- Atuante no funcionamento de mais de trezentas enzimas do nosso corpo ele contribui para diversas reações do nosso organismo. Forte ação contra radicais livres, em virtude da presença desse mineral, o número de linfócitos T (desempenham papel central na resposta imunitária contra patógebos) é aumentado, tornando o sistema imunológico mais potente. Fontes alimentares: semente e linhaça, chocolate meio amargo, gema de ovo, castanha de caju, feijão.

Selênio- Atua como antioxidante, anticoagulante, favorece sistema imune, atua contra doenças cardiovasculares e redução de peso. Seu excesso é tóxico para o organismo. Havendo necessidade de controle no consume. Fontes alimentares: castanha do Pará, arroz, feijão repolho, frango cozido, alho.

Ferro- Um dos componentes mais importantes do sangue ele atua na formação de hemoglobinas, molécula do sangue responsável pelo transporte de oxigênio. Sua deficiência pode nos deixar mais suscetível a doenças e com sensação de maior cansaço. Fontes alimentares: folhas verdes escuras como: couve, espinafre, nozes, carne vermelha, feijão, semente de abóbora, sardinha.

Resveratrol- Fitonutriente atuante na prevenção contra fungos ou bactérias, atuando como um forte antioxidante, benefícios para saúde cardiovascular, fluxo sanguíneo e auxilio na liberação de toxinas do organismo. Fontes alimentares: uva, mirtolo, chocolate amargo, cacau em pó.

Ômega 3- Óleo essencial o ômega 3 não é produzido pelo nosso organismo, portanto precisa ser consumido via alimentar ou por meios de suplementação para gozarmos dos seus benefícios. Ele é muito eficiente no combate de processos inflamatórios do nosso corpo, agindo também a favor da saúde cardiovascular. Fontes alimentares: atum, nozes, camarão, sardinha, chia, namorado, cavala.

Vitaminas do complexo B- Vitaminas que estão associadas a conversão dos alimentos em energia. Auxiliam diretamente no funcionamento do sistema nervoso central e manutenção dos glóbulos vermelhos, responsáveis pelo transporte de oxigênio e gás carbônico para as nossas células. Fontes alimentares: cúrcuma, gengibre, amendoim, cavala, queijo cottage, salmão, semente de girassol, cogumelos, avelã, abacate, ovos, lentilha, feijão.

Nesse sentido, procure manter uma alimentação variada de frutas, legumes, verduras, leguminosas, cereais, oleaginosas, peixes, cogumelos e gorduras benéficas. É importante também que essa alimentação seja orgânica."Não custa lembrar que a introdução desses alimentos não nos deixa imune ao vírus, mas sim favorece as nossas proporias respostas imunológicas. Desse modo é fundamental que a gente mantenha todas as recomendações indicadas pelo do Ministério da Saúde. Gosto muito de indicar aos pacientes shotes matinais. Logo que acordamos nosso organismo ainda não tem outros alimentos para competir no processo de absorção. O que torna a sua absorção mais eficiente e acaba sendo um bom momento para ofertarmos algumas dessas vitaminas", observa e ensina. 

Alguns shotes (doses matinais): 

Shote 1-

· suco de 1 limão espremido,
· ½ copo de água em temperatura ambiente,
· 1 colher de chá de cúrcuma,
· 25 gotas de própolis verde alcoólico

Misture os ingredientes e consuma em jejum.

Shote2-

· ½ unidade de beterraba crua e sem casca
· ½ copo de água em temperatura ambiente
· 1 rodela grossa de gengibre
· 3 unidades de morango

Bata os ingredientes no liquidificador e consuma em jejum sem coar.

Shote 3-

· 1 colher de sopa de vinagre de maçã
· 1 colher de chá de spirulina em pó
· ½ manga
· ½ copo de água em temperatura ambiente
· 1 folha de couve- manteiga

Bata os ingredientes no liquidificador e consuma em jejum sem coar.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895