Ganhar ou Perder, eis a escolha
capa

Ganhar ou Perder, eis a escolha

Leonel Karam, economista e professor, escritor, empresário e fundador do Neurosoft - Instituto Educacional da Inteligência Ltda. fala sobre o processo mental que nos leva a nos tornarmos vencedores ou perdedores

Por
Correio do Povo

publicidade

Percebemos o mundo por meio de nossos cinco sentidos: visão, audição, olfato, paladar e tato, na nossa lógica mental. Há também inúmeros estudos que abordam uma sexta competência, que seria a intuição, uma espécie de capacidade (advinda da glândula pineal - chamada de terceiro olho), que leva a algumas pessoas a prever o que está por vir.

Apesar disso, Leonel Karam, economista e professor, escritor e empresário, propõe a análise por meio dos 5 sentidos da nossa história
pessoal. A partir desse cenário, conforme ele, descobrimos um mapa mental, que em cada pessoa é único, a partir do qual se elabora a sua "visão de mundo". "Iniciar uma partida de futebol, abrir uma empresa, criar uma família são movimentos de excelência humana. Nos expomos perante o mundo da mesma forma que um jogador de futebol se expõe em campo diante de uma torcida ávida por vitória e ao mesmo tempo diante de uma outra torcida oponente e hostil", observa.  

Apesar disso, essa lógica mental -  nosso conhecimento -  pode ser gerado por meio de ilusões de percepção e a partir de conceitos ressignificados. "Se na nossa infância, por exemplo, vinculamos dinheiro e posse de bens a um emocional de paz, na vida adulta vamos nos permitir ter dinheiro e desfrutar da posse de bens. Se na nossa infância o nosso conhecimento for ilusório, ele permanece em nós na nossa fase adulta e vamos reagir às exigências da vida de forma ilusória ou perdedora. Isso é o que muitas vezes faz com que um time ganhe em uma partida e na semana seguinte perca para outro time. A soma dos inconscientes do grupo de jogadores com seu treinador é o que determina a vitória ou a derrota. Estados mentais inconscientes ilusórios traduzem resultados inconscientes perdedores, instáveis.
É melhor que você conheça a si mesmo e o grupo que você representa. Ao contrário, por exemplo, quando decidimos escolher ilusoriamente conhecer a realidade e a vinculamos à violência na posse de dinheiro e de bens, vamos instintiva e automaticamente sempre tentar acabar com o dinheiro para acabar com a violência. Acabar com o "jogo para acabar com o sofrimento", analisa o
fundador do Neurosoft - Instituto Educacional da Inteligência Ltda. 

Diante disso e de muitos anos da pesquisa, Karam construiu a Teoria Informacional Quântica Mental com base na Teoria da Perspectiva de dois Prêmios Nobel em Economia em 2002, Daniel Kahneman e Vernon Smith. Ela propõe preparo para a pessoa tomarem suas decisões com perspectivas de ganhos positivos automaticamente em suas vidas, famílias, empresas, organizações e instituições. "Para isso, é preciso mudar crenças e conhecimentos, ou seja, a forma de como aprendemos a encarar a vida. Essa perspectiva de vida está "escrita em tinta invisível"; que somente se revela depois do desastre, da perda ter acontecido. Nossa proposta é nos tornarmos vitoriosos antes das perdas. É promover o “ganha-ganha", observa. E complementa: "Temos nossa neuroeconomia de pensamentos e eles precisam ser vitoriosos, ganhadores. Precisamos tomar decisões econômicas em tudo, a toda hora, em cada jogo e, para isso, o sistema informacional quântico mental é imbatível. Ele é um aperfeiçoamento da Teoria da Perspectiva de Decisão no qual somos treinados a criar circunstâncias que nos garantam ganhos. E como se faz isso? Descobrindo pela neurocomunicação as memórias inconscientes, instintivas, que necessitam ser alteradas para produzir os resultados que desejamos ter", destaca. 

O professor Leonel Karam, autor de onze livros, sendo o mais atual “O Cérebro no Jogo da Vitória”, explica que a transformação acontece por meio da identificação dos conhecimentos enganosos adquiridos, que estão instalados no inconsciente (pessoal ou coletivo) revelando assim o que está invisível e que provocam ilusões cognitivas, que nos levam a ganhar ou a perder. Esse processo de revelação inconsciente é capaz de trazer à tona as mais profundas experiências da lógica mental arquitetada no pensamento humano. 

Conforme o especialista, somos seres humanos movidos a instintos, na maior parte das vezes. Em nossa fala, há uma lógica. "Atrás de cada expressão, há um lado instintivo sendo revelado e muitas vezes é até mesmo o que "ainda não sei de mim". Precisamos mudar a visão do mundo tradicional para a visão quântica do mundo. Como tudo é feito de átomo, tudo é onda e partícula, inclusive nossa forma de pensar e agir. É por meio do sistema informacional quântico mental - a informação percebida no invisível - que se ganha uma
Copa do Mundo, se vence nas Olimpíadas e se temos sucesso no mundo empresarial. Acertamos um chute no gol, driblamos oponentes e a concorrência e criamos o passe preciso. Descobri em minhas pesquisas que se eu mudar uma minúscula partícula num pensamento ilusório em um cérebro de uma pessoa, eu mudo a personalidade inteira dela, porque a mudança de frequência de onda em hertz promove uma gigantesca alteração em todo o mapa mental por ser mais veloz que a luz. Ninguém mais está isolado, tudo o que pensamos e sentimos é uma onda. Ao mudarmos a frequência da onda neural, mudamos nossos pensamentos e nossos sentimentos. Para Peter
Senge, nós sabemos que estamos aprendendo quando podemos realizar coisas que não podíamos realizar anteriormente", ressalta.  

Uma das coisas que mais escuto é as pessoas falarem "O que eu mais quero é ganhar dinheiro, ter saúde e festejar o sucesso". No entanto, "querer não é poder". Há um eu instintivo em que você não necessita, não deseja mudar e que você não vê. Não ver essa ilusão instintiva é uma forma de desculpar doenças ou fracassos. Vencer deve ser instintivo, está no faro. São nossos instintos que nos
constroem ou destroem como pessoas, empresas ou com o país. As técnicas que utilizo despertam a pessoa para usar o que de mais magnífico ela tem: o cérebro. O uso quântico da mente auxilia as pessoas a encontrarem a possibilidade que desejam manifestar. As mudanças são inevitáveis e irreversíveis, mas, ao contrário do que dizem algumas filosofias, é possível conduzi-las a favor de todos os envolvidos apenas treinando a mente humana para tanto. O que proponho com a Teoria do Sistema Informacional Quântico Mental é a
descoberta de todos os instintos que invisivelmente agem no meio grupal e reeducá-los para termos ganhos sistemáticos e alcançarmos a vitória. Torna-se necessário desenvolver habilidades mente-corpo para ganhar, para a vitória. Geramos bens por meio da nossa capacidade instintiva de ganhos positivos", ensina.