Amor na era dos aplicativos: ainda há romance?
capa

Amor na era dos aplicativos: ainda há romance?

No Brasil, 124 milhões de pessoas participam de plataformas de relacionamento.

Por
Correio do Povo

publicidade

No Brasil, 124 milhões de pessoas participam de plataformas de relacionamento. Reflexo do tempo atual, uma tendência inevitável decorrente das redes sociais e da variedade de aplicativos, cada vez mais segmentados. O crescente movimento registrado nos sites revela uma busca mais objetiva pelo parceiro, deixando em segundo plano o clima de conquista e romance?

Não é o que os aplicativos registram. No mundo imaginário, espera-se encontrar a pessoa amada ao tropeçar em uma calçada e o parceiro aparecer para socorrer. É melhor, e mais seguro, recorrer a uma plataforma especializada. Ela irá apenas facilitar os encontros, mas o processo da atração, da empatia e do amor continua o mesmo. As pessoas precisam se destacar para ganhar a atenção em um ambiente tão concorrido e, quando obtêm a primeira vitória, o primeiro contato, também devem se esforçar para manter a boa impressão. O objetivo é sempre sair do mundo virtual para o real e aí fazer acontecer.

Os relacionamentos iniciados em aplicativos podem dar certo, basta o usuário saber o que procura, vivenciar o momento e não desistir no primeiro fracasso. Outros poderão vir até que a pessoa com o perfil desejado apareça. Persistência é a palavra mágica. Se o relacionamento irá ou não prosperar depende dos parceiros. Mas, tenha certeza de que as chances serão muito maiores do que o tropeção.

O fato de usar um aplicativo demonstra que a pessoa está aberta a novas experiências, não tem receio de se expor e busca a oportunidade de encontrar alguém com quem tenha afinidades. Para isso, é só fazer uma pesquisa por categoria e escolher a mais adequada. Há sites especializados em pessoas maduras, outros em relacionamentos extraconjugais, em pessoas solteiras com filhos, em relacionamentos entre evangélicos, dentre tantos. As opções são inúmeras.

A elitizada plataforma Meu Patrocínio, por exemplo, com cerca de 750 mil usuários, o maior site de relacionamento sugar do país, aproxima homens e mulheres bem-sucedidos e poderosos – Sugar Daddies e Sugar Mommies - de jovens do sexo masculino e feminino, atraentes e ambiciosos (Sugar Babies). O diferencial é a relação em termos preestabelecidos, com objetivos claros e transparentes, além das expectativas alinhadas desde o início da relação. Neste caso, a maioria dos usuários garante que está em busca de uma relação duradoura e de muito romance! Afinal, sem ele tudo parece perder o encanto.