Deslocar-se com cautela e cuidado no trânsito também é viver bem
capa

Deslocar-se com cautela e cuidado no trânsito também é viver bem

Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito faz panorama do setor no Brasil

Por
Correio do Povo

Deslocar-se com cautela e cuidado no trânsito também é viver bem

publicidade

Os primeiros resultados da fase de diagnósticos do Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (Pnatrans) trazem um olhar otimista para a redução do atual índice de 40 mil mortes ao ano no trânsito brasileiro. A iniciativa, que faz parte do Movimento Nacional de Segurança Viária, está sendo realizada por meio de parceria entre o Ministério das Cidades, a Cervejaria Ambev, a consultoria Falconi e o Instituto Tellus.

O projeto iniciou com o mapeamento dos dados e o fluxo das informações estaduais de segurança viária, identificando os diferentes estágios de maturidade das estatísticas dos Estados, que direcionarão frentes de atuação do programa em todas as regiões do Brasil. O objetivo é reduzir em 50% o índice de mortes no trânsito no país em dez anos. Deslocar-se com cautela e cuidado no trânsito também é viver bem. A vida está acima de qualquer pressa ou ultrapassagem inadequada nas estradas. Vale destacar que campanhas educativas desenvolvidas em parceria entre diversas instituições e órgãos governamentais, além do empenho da população, têm contribuído para a redução do número de mortes no trânsito em todo o país.

Durante o segundo semestre desse ano, em parceria com a consultoria Falconi, foram realizadas reuniões junto aos Departamentos Estaduais de Trânsito (Detrans) e demais órgãos públicos locais relacionados ao Sistema Nacional de Trânsito nos 26 estados e no Distrito Federal, para a elaboração do diagnóstico a respeito das estatísticas de segurança viária do País.

“Com o Pnatrans, o Ministério das Cidades coleta informações em todos os estados brasileiros para formar políticas públicas que ajudem no combate de acidentes, segurança viária e, principalmente, direcionem as metas para a redução dos óbitos no trânsito”, destaca o ministro das Cidades, Alexandre Baldy.

O projeto representa para a sociedade a mitigação, não só dos custos sociais e econômicos, mas dos incalculáveis custos humanos, associados à perda precoce de vidas no trânsito. Com base na visão otimista gerada pelos bons resultados das análises do diagnóstico, na próxima etapa do Movimento Nacional de Segurança Viária, que tem por foco o apoio à implementação do Pnatrans, serão definidas e implantadas as frentes de atuação do programa em todas as regiões do Brasil.

“Nós estamos confiantes com a apuração dos dados nesta fase do projeto. Com base nas nossas vivências e nos bons resultados garantidos para a melhoria da gestão da segurança viária no Brasil, decidimos assumir a posição de principal empresa financiadora do projeto que apoia a implementação do Pnatrans. A Ambev entende que não se constrói um mundo melhor sozinha, por isso, olhando para fora de nossos muros, vamos continuar a incentivar programas de coalizão entre os setores público, privado e terceiro setor para a melhoria dos números de acidentes nas estradas brasileiras”, comenta Rodrigo Moccia, gerente de Relações Institucionais da Ambev.

A Cervejaria Ambev decidiu buscar oportunidades de parceria com o governo a fim de atuar mais ativamente pela segurança viária por entender que o consumo de bebida alcoólica associado à direção é um fator de risco para acidentes. E um dos principais compromissos da companhia é promover o consumo inteligente. O desdobramento do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, iniciativa do Governo Estadual de São Paulo, e do Brasília Vida Segura no Governo do Distrito Federal, que superou em 40% a meta do primeiro ano de vidas salvas a partir da redução dos acidentes de trânsito no Distrito Federal, são exemplos de projetos apoiados pela cervejaria neste pilar.