Incontinência anal: um problema de saúde com solução  
capa

Incontinência anal: um problema de saúde com solução  

A incontinência é um sintoma muito comum em qualquer idade.

Por
Amrigs

publicidade


A incontinência é um sintoma muito comum em qualquer idade. É definida como a incapacidade de controlar a eliminação pelo ânus, de gases ou fezes de consistência líquida, pastosa ou sólida. A vergonha e a falta de comunicação com a família e com os profissionais de saúde dificultam o tratamento adequado.  Aumenta com o avanço da idade, com predominância em idosos. Varia desde pequenas perdas de gás ou líquido até acidentes de maior proporção.  Independentemente do volume perdido, o paciente pode sentir-se bastante constrangido e inseguro, o que transforma de maneira substancial sua confiança e comportamento social. Várias alterações na fisiologia anorretal podem causar incontinência, sendo comum a ocorrência de mais de uma deficiência associada. Como exemplo de distúrbios relacionados à incontinência, destacam-se os defeitos da musculatura do períneo causados pelo parto vaginal, os traumas, ou as condições associadas a cirurgias anorretais.  Exames complementares auxiliam no diagnóstico, como a manometria anorretal, a ressonância magnética do canal anal ou a ultrassonografia anal. Estes exames podem definir o grau de enfraquecimento ou ruptura muscular, assim como a integridade da inervação e dos músculos do períneo. O exame proctológico e avaliação complementar dos cólons ajudarão a definir outras alterações. O tratamento nem sempre está baseado em procedimentos cirúrgicos. Ao contrário, são indicados inicialmente correções do hábito alimentar e das medicações usadas pelo paciente.

Atualmente são disponíveis tratamentos como os exercícios de recondicionamento do controle anal (biofeedback), que apresentam resultados consideráveis. Em caso com indicação de tratamento cirúrgico, o cirurgião coloproctologista avaliará e definirá a melhor estratégia ou abordagem. Dentre as várias técnicas disponíveis encontram-se a correção do músculo anal rompido, o reforço da musculatura do canal anal enfraquecida ou, inclusive, as técnicas de preenchimento anal, de implante de esfíncter anal artificial ou de estimulação do nervo sacral. Os tratamentos mais modernos são baseados na neuroestimulação sacral, que consiste em uma opção terapêutica eficaz e segura para pacientes com falha do tratamento conservador ou em pacientes submetidos à intervenção cirúrgica mal sucedida. O tratamento varia de uma abordagem mais conservadora até uma variedade de intervenções cirúrgicas, como: Recomendações comportamentais, Exercícios de reabilitação perineal, Biofeedback, tratamento medicamentoso, tratamento cirúrgico e neuromodulação sacral.

Ornella Cassol – Médica Coloproctologista
CRM 35637
Membro do corpo Clínico do Hospital de Clínicas de Passo Fundo e Hospital Cristo Redentor de Marau

 

Membro do Grupo Cirúrgico do Pólus Centro Clínico
Professora do curso de Medicina da IMED
Facebook: Coloproctologista Ornella Cassol
Instagram: @coloproctologistaornellacassol
ornellacassol.com.br