Correio do Povo | Notícias | Pentágono investiga vazamentos para Hollywood de operação contra Bin Laden

Porto Alegre

31ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 23 de Janeiro de 2019

  • 05/01/2012
  • 16:34
  • Atualização: 16:36

Pentágono investiga vazamentos para Hollywood de operação contra Bin Laden

Cineasta Kathryn Bigelow faz filme sobre a morte do líder da Al-Qaeda

Kathryn Bigelow faz filme sobre a morte do líder de Bin Laden | Foto: Mandel Ngan / AFP / CP

Kathryn Bigelow faz filme sobre a morte do líder de Bin Laden | Foto: Mandel Ngan / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

O Pentágono investiga possíveis vazamentos internos de informação sobre a morte de Osama Bin Laden para a produção de um filme sobre o assassinato do líder da Al-Qaeda.  A cineasta Kathryn Bigelow trabalha com o tema da busca e da eliminação do inimigo público número um dos Estados Unidos durante uma operação das forças especiais americanas em Abbottabad, no Paquistão, em maio de 2011. A diretora já tinha contado com a ajuda do Pentágono para filmar "Guerra ao Terror", que ganhou Oscar de melhor filme em 2010.

O presidente da comissão de Segurança Interna da Câmara de Deputados, o republicano Peter King, diz temer que a cineasta e seu colaborador, Mark Bhoal, tenham tido acesso a dados da operação considerados secretos e pediu, em agosto, ao Pentágono e à CIA que comecem uma investigação. King enviou nesta quinta à imprensa uma nota interna segundo a qual em 10 de dezembro a inspeção geral do departamento de Defesa anunciava que deveria começar imediatamente uma investigação sobre essas acusações.

"Este projeto abordará os registros de funcionários do ministério da Defesa ligados à comunicação de informação aos cineastas", informou o Pentágono em uma carta dirigida ao deputado. A CIA comunicou King, em uma carta com data de 8 de novembro, que se preparava para por em prática uma política destinada a supervisionar suas relações com a indústria cinematográfica.

Segundo o legislador republicano, o filme que estreará em outubro, pouco antes da eleição presidencial do dia 6 de novembro, quando o presidente Barack Obama tentará a reeleição. Interrogado sobre as acusações de King, o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, as qualificou de "ridículas".

Bookmark and Share