Correio do Povo

Porto Alegre, 23 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
16ºC
Amanhã
15º


Faça sua Busca


Arte & Agenda > Variedades

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

07/02/2014 09:58 - Atualizado em 07/02/2014 10:07

Morte de Nico é uma perda irreparável, diz Eva Sopher

Ator e músico morreu na manhã desta sexta-feira, no hospital Moinhos de Vento

Nico Nicolaiewsky morreu na manhã desta sexta no hospital Moinhos de Vento<br /><b>Crédito: </b> Paulo Nunes / CP Memória
Nico Nicolaiewsky morreu na manhã desta sexta no hospital Moinhos de Vento
Crédito: Paulo Nunes / CP Memória
Nico Nicolaiewsky morreu na manhã desta sexta no hospital Moinhos de Vento
Crédito: Paulo Nunes / CP Memória

A presidente da fundação Theatro São Pedro, Eva Sopher, falou sobre a morte do ator e músico Nico Nicolaiewsky, ocorrida na manhã desta sexta-feira. Em entrevista à Rádio Guaíba, Eva ressaltou a importância de Nico para o tetatro e afirmou que a morte dele é uma perda irreparável. “É uma perda irreparável tanto no lado humano quanto no profissional”, disse.

Eva Sopher lembrou do início das apresentações do “Tangos & Tragédias” no Theatro São Pedro, em 1987, quando se tinha dúvida sobre a a capacidade de se atrair público no verão em Porto Alegre e ressaltou o sucesso que o espetáculo alcançou nessas quase três décadas. “Há quase 30 anos inauguramos o espetáculo ainda duvidosos se teria público e vimos ao longo desses anos que Tangos & Tragédias era o espetáculo mais assistido, sempre com os ingressos vendidos. Este ano ainda tivemos um primeiro final de semana de apresentação antes dele sentir os sintomas da doença. O público acompanhava e sabia tudo de cor”, declarou.

“Algumas vezes eles pediam para levantar a mão quem ainda não havia assistido e era raro. As pessoas chegavam a apostar entre elas quem havia visto mais vezes. Tinha um ex-cônsul alemão que vinha todos os anos da Alemanha especialmente para assistir ao espetáculo. O Tangos & Tragédias passou de longe as fronteiras do nosso Estado e do nosso País. Era um fenômeno e para nós é um tiro no coração a morte do Nico”, completou.

Bookmark and Share

Fonte: Correio do Povo





» Tags:Teatro Variedades

O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.