Porto Alegre, sábado, 20 de Dezembro de 2014

  • 23/01/2014
  • 16:58
  • Atualização: 17:27

Dilma Rousseff diz que fazer estádio é "relativamente fácil"

Presidente garantiu, em encontro na sede da Fifa, em Zurique, que tudo estará pronto para a Copa

Presidente garantiu, em encontro na sede da Fifa, em Zurique, que tudo estará pronto para a Copa | Foto: Fabrice Coffrini / AFP / CP

Presidente garantiu, em encontro na sede da Fifa, em Zurique, que tudo estará pronto para a Copa | Foto: Fabrice Coffrini / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, e o presidente da Fifa, Joseph Blatterr, deixaram de lado os desentendimentos dos últimos meses para assegurar nesta quinta-feira que ambas as partes estão confiantes, de cara para a Copa do Mundo-2014.

Convidada pelo dirigente da entidade que rege o futebol no mundo, Rousseff aceitou um encontro em Zurique, aproveitando sua ida à Suíça para participar do Fórum econômico de Davos.

"O Brasil é o país do futebol, não há outro país que o Brasil para falar de futebol. É por isso que o Brasil vai organizar um grande Mundial, uma linda Copa do Mundo e há confiança" entre o país organizador e a Fifa, disse Blatter, após o encontro.

"Ainda faltam alguns meses e sim, precisamos dar alguns pequenos retoques, e isso será feito. Estou acostumado aos Mundiais, existem problemas, mas no fim tudo estará em ordem, principalmente no Brasil", continuou o dirigente.

"O governo brasileiro fará de tudo para terminar as obras dos estádios, o que é relativamente fácil de fazer, mas também para organizar a Copa das Copas. Isto inclui os estádios, os aeroportos, os portos, tudo que é necessário para que o país acolha bem os visitantes", destacou Dilma Rousseff.

• Arena da Baixada corre risco de ficar fora da Copa se obras não avançarem
• Fifa pede descanso para gramado do estádio Mané Garrincha, no DF
• Secretário-geral da Fifa vistoria Itaquerão
• Fortunati garante Capital pronta para receber mais jogos da Copa

"Estamos preparados. O governo terá todo o empenho para que essa seja a Copa das Copas", insistiu a chefe de estado.
Contudo, os estádios não parecem ser "trabalhos relativamente fáceis de fazer" no Brasil, que até o momento só terminou um (em Natal, inaugurado na quarta-feira) dos seis que ainda precisam ser entregues.

Um dos estádios, o de Curitiba, acumula tantos atrasos que o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, declarou na última terça-feira "estado de emergência", dando a entender que a cidade pode ser excluída como sede do Mundial.

Bookmark and Share