Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 13/02/2014
  • 09:33
  • Atualização: 09:56

Dilma classifica racismo sofrido por Tinga como "lamentável"

Torcedores peruanos imitavam sons de macaco quando volante tocava na bola

Torcedores peruanos imitavam sons de macaco quando volante tocava na bola | Foto: Cris Bouroncle / AFP / CP

Torcedores peruanos imitavam sons de macaco quando volante tocava na bola | Foto: Cris Bouroncle / AFP / CP

  • Comentários
  • Lancepress

A presidente Dilma Rousseff comentou na manhã desta quinta o episódio de racismo sofrido pelo volante Tinga, do Cruzeiro, em partida contra o Real Garcilaso, do Peru, pela Copa Libertadores. "Foi lamentável o episódio de racismo", escreveu em sua conta no Twitter. "Ao sair do jogo, Tinga disse que trocaria seus títulos por um mundo com igualdade entre as raças. Por isso, hoje o Brasil inteiro está #FechadoComOTinga".

A presidente disse ainda que o "esporte não deve ser jamais palco para o preconceito". O Real Garcilaso pode sofrer uma pesada punição da Conmebol por causa do racismo dos torcedores peruanos na noite de quarta-feira. Segundo a atual versão do Regulamento Disciplinar da entidade, o time é passível até de desclassificação da competição.

O documento, no artigo 12, prevê, de cara, uma multa de US$ 3 mil ao clube em decorrência das manifestações racistas. Além da punição no bolso e da desclassificação, o tribunal disciplinário da Conmebol pode decidir aplicar outras penas, “como jogar um ou mais jogos de portões fechados, a proibição de jogar uma partida em um estádio determinado, concessão da vitória do encontro pelo resultado que se considere e a perda dos pontos. Via Twitter, a Conmebol se pronunciou e prometeu analisar o caso.



Bookmark and Share