Porto Alegre, segunda-feira, 22 de Dezembro de 2014

  • 07/04/2014
  • 18:42
  • Atualização: 18:51

Brigada Militar vê entorno do Beira-Rio como problema para Gre-Nal

Nova vistoria vai avaliar se estádio poderá receber o clássico de domingo

Beira-Rio recebeu lotação máxima para amistoso com Peñarol | Foto: Jefferson Bernardes / Vipcomm / CP

Beira-Rio recebeu lotação máxima para amistoso com Peñarol | Foto: Jefferson Bernardes / Vipcomm / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo e Rádio Guaíba

O Gre-Nal do próximo domingo ainda não tem local definido. Apesar ter sido inaugurado oficialmente nesse final de semana, o Beira-Rio ainda não tem liberação para jogos oficiais. Nesta segunda-feira, o comandante do Comando de Policiamento da Capital (CPC), coronel João Diniz Godoy, afirmou que o entorno do estádio é o principal problema para a realização do clássico.

“Estive no Beira-Rio no final de semana acompanhando os eventos. Não tínhamos torcida adversária, não havia possibilidade de encontro de torcidas. Agora a situação é diferente. É um Gre-Nal que decide um campeonato. O entorno tem muitas áreas de riscos para torcedores e pessoas que estão no trânsito. A minha maior preocupação é em relação as obras de entulho no entorno. São questões que precisam ser superadas para que o estádio possa receber o jogo”, declarou à Rádio Guaíba.

Apesar da preocupação, o coronel Godoy acredita que há tempo para que o jogo seja realizado no estádio. Para isso, a Brigada Militar aguarda que o Inter obtenha junto ao Corpo de Bombeiros o Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI) para marcar a vistoria que irá liberar ou não o Beira-Rio para receber a decisão do Gauchão.

Se for liberado para o clássico, o Beira-Rio deverá receber 1,2 mil gremistas, conforme acordo firmado no Ministério Público no começo do ano. A Brigada Militar já tem um esquema de segurança organizado para o clássico. Inicialmente, os torcedores do Grêmio se encontrariam no Olímpico e iriam escoltados até o local da partida.

Em relação a possíveis confrontos no caminho do estádio e depredações do Beira-Rio por parte dos gremistas (quase 200 cadeiras foram quebrados por colorados na Arena), o coronel destacou que o serviço de inteligência da Brigada Militar já trabalha observando o comportamento das torcidas nas redes sociais. Além disso, a revista aos torcedores será mais rigorosa. “A revista para Gre-Nal já costuma ser mais rigorosa, mas por essas circunstâncias ela será ainda mais cuidadosa”, revelou.

Bookmark and Share