Correio do Povo

Porto Alegre, 31 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
15ºC
Amanhã
16º 25º


Faça sua Busca


Esportes > Futebol

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

10/04/2014 18:57 - Atualizado em 10/04/2014 18:58

Técnico nega ter chamado bandeirinha de gostosa: “Não sou burro para isso”

Celso Teixeira disse que torcedores foram responsáveis por ofensas à auxiliar

Envolvido em uma polêmica por supostamente ter chamado uma auxiliar de "sua gostosa" durante partida pelo Catariense, o técnico do Juventus, Celso Teixeira, negou que tenha dado uma "cantada" na bandeirinha Maira Americano Labes, como foi relatado pelo árbitro na súmula. Celso se mostrou indignado com a situação e alega ter sido vítima de um engano.

“Quem me conhece sabe que tenho caráter. Tenho família, estou chateado com isso. Se tivesse feito isso, seria preso. Não sou burro o suficiente para falar uma coisa dessas para uma menina que tem idade para ser minha filha. Eu sei o meu lugar”, afirmou ele, ressaltando que a frase veio dos torcedores:

“Acho que nem ela própria teria a coragem de dizer que ela escutou isso de mim. Atrás do banco tinha uns 20 torcedores, que falaram um monte de coisa para ela desde o começo do jogo. Ela ouviu coisas piores que ‘gostosa’, mas dos torcedores que estavam atrás de mim”.

Celso Teixeira diz estar muito abalado com a situação, especialmente pelo problema criado na família. “Não dormi a noite toda, não comi direito. Sou casado há 30 anos, tenho dois filhos e um deles me ligou. Acabei sendo colocado em uma situação delicada, que eu não cometi”,acrescentou ele.

Apesar de negar ter chamado a auxiliar de "gostosa", o treinador ponderou que a vestimenta feminina da arbitragem é inapropriada para um ambiente de tantos homens. “Não é preconceito, mas se fosse minha filha não deixaria trabalhar no futebol, porque está sujeito a isso. Além disso, não entendo porque o short das assistentes tem que ser tão apertado”, disse ele, que vai entrar na mira da Justiça Desportiva de Santa Catarina:

“Vai ser difícil provar que não fui eu, mas agora tenho que me defender no TJD. Vou tentar convencer que sou direito. Mas estou mais preocupado com o problema pessoal que me causaram do que com isso”, encerrou.

Bookmark and Share

Fonte: Lancepress





» Tags:Futebol Esporte

O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.