Porto Alegre, segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

  • 16/04/2014
  • 16:11
  • Atualização: 16:16

Novelletto será tratado como filho um pouco rebelde, diz Del Nero

Eleito nesta quarta, novo presidente da CBF, quer manter uma boa relação com todos os filiados

Del Nero (D) quer dar mais poderes aos clubes | Foto: Ricardo Stuckert / CBF / Divulgação / CP

Del Nero (D) quer dar mais poderes aos clubes | Foto: Ricardo Stuckert / CBF / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Lancepress

Eleito nesta quarta-feira para suceder José Maria Marin no comando Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a partir de 2015, Marco Polo del Nero, disse, em entrevista coletiva após a eleição, que irá tratar o presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Francisco Novelletto como um filho um pouco rebelde, mas nunca como opositor. "Não existe possibilidade, mesmo que o Novelletto queira fazer oposição. Ele pode ter um problema, achar que a administração não é boa, mas nem por isso vai deixar de ser igual a outro filiado, que tem todos os direitos", declarou Del Nero.

O novo presidente da CBF comemorou o apoio em massa dos principais dirigentes do futebol brasileiro. 
"Hoje foi um dia muito importante de dirigente, eleito com um apoio expressivo dos eleitores da CBF. Estamos recheados de alegria. Sabemos que é uma grande missão, da responsabilidade que virá logo em seguida",  salientou Del Nero, sorridente, ao lado de Marin.

Dos 47 votos possíveis, o novo presidente da CBF – a partir de 2015 – recebeu 44. Dois eleitores votaram em branco e o Figueirense se absteve. 

O dirigente passará a morar no Rio e garantiu melhorar o que é preciso na CBF, atender todos os filiados com igualdade, ouvir alternativas do Movimento Bom Senso e proporcionar mais participação dos clubes na gestão. 

Confira os principais pontos da entrevista coletiva:

Estilo de direção
O desafio já começou quando formos eleitos para a vice-presidência com o Marin. Ele constantemente nos dá missões e nos leva a praticar atos, e vamos contribuindo com a administração. É evidente que, eleito e ao tomar posse em 2015, você começa a ter seu estilo. A administração segue na mesma. Mudança? Poucas. Mas da mesma forma que o Ricardo Teixeira tinha uma linha e o Marin tem a dele, eu terei a minha.

Melhorias no futebol nacional
Há de se dizer que houve uma evolução da CBF em favor dos clubes, nas Séries C e D, que não tinham benefícios de transporte, alimentação e hospedagem. Eles não queriam nem participar mais das competições. Isso foi um avanço muito grande. Dar condições de dar aos clubes. Só não pagamos os salários. O resto pagamos tudo. Isso resolve? Não. tem mais coisa a ser feita. Tem um trabalho que envolve os clubes e estamos discutindo uma outra formula.

Mais envolvimento com os clubes
Esse projeto é do Marin. Criamos a comissão de futebol, e entre os presidentes de clubes o que se sobressai é o Vilson, do Coritiba. Tem que aumentar o número de pessoas na comissão, porque estão ausentes. Vamos dar mais poderes aos clubes. Por isso, falamos muito em continuidade administrativa, ela existe e está trabalhando muito bem.

Bom Senso
Vou dialogar com todos, inclusive com vocês da imprensa. Todos que tem ideias. vão passar para a CBF, vamos ouvir todos.

Bookmark and Share


TAGS » Futebol, Esporte, CBF