Porto Alegre, sábado, 1 de Novembro de 2014

  • 16/04/2014
  • 18:18
  • Atualização: 18:23

Novo chefe, Del Nero dá bronca na CBF por confusão no caso Icasa

Dirigente revelou ter chamado a atenção de funcionário por equívoco no BID

  • Comentários
  • Lancepress

Nem mesmo o presidente eleito da CBF, Marco Polo Del Nero, deixou de criticar a falha da entidade ao ocasionar a situação irregular do volante Luan, do Figueirense, que originou o processo na Justiça Comum feito pelo Icasa. “O erro humano é normal, temos que entender. Isso acontece. Mas já conversamos com o departamento de registros sobre isso. Como pode tirar um atleta do BID e não avisar ao clube? Não dá. É pegadinha isso. E me responderam que sempre foi assim, há 20 anos. E eu rebati, dizendo que fazem errado há 20 anos. Mas isso já foi resolvido”, disse Del Nero, na coletiva pós-eleição.

• Novelletto será tratado como filho um pouco rebelde, diz Del Nero
• Icasa diz que foi à Justiça porque CBF confirmou irregularidade do Figueirense

O Icasa conseguiu uma liminar para ser colocado na Série A e alega que tem direitos. Um dos argumentos é o próprio equívoco da CBF. Um funcionário da entidade fez um "teste" no BID e, indevidamente, deu condição de jogo a Luan. Mas depois desfez a operação. Só que o Figueirense já tinha colocado o jogador em campo. Apesar disso, Del Nero ressalta que há risco de uma sanção por parte de entidades esportivas superiores.

“Infelizmente os clubes foram à Justiça comum, quando os estatutos da CBF, Conmebol e Fifa não permitem. Mas a Constituição sim. Com base nisso, as pessoas podem buscar o direito. Certamente depois de toda tramitação processual, se a CBF for obrigada a cumprir, vai ter que cumprir. Mas eles poderão ser julgados pelos tribunais esportivos”, disse ele, sendo acompanhado por José Maria Marin no pensamento: “A Conmebol e a Fifa podem tomar as providências independentemente da CBF. Quando a coisa extrapola, foge do nosso controle”, afirmou Marin..

Em tempos de imbróglio jurídico, Marin comparou o "reforço" no quadro de advogados que atuam pela CBF à contratação do técnico Luiz Felipe Scolari para a Seleção. “Confiamos plenamente no nosso departamento jurídico. Carlos Eugenio Lopes e Carlos Miguel Aidar, que é um especialista. Mais de 90 liminares conseguimos derrubar. Da mesma forma que colocamos Felipão e Parreira na Seleção, colocamos o Miguel Aidar”, completou.

A CBF está tentando derrubar a liminar do Icasa, conseguida na 4ª Vara Cível. Mas ainda não teve sucesso.

Bookmark and Share


TAGS » Futebol, Esporte, CBF