Porto Alegre, sábado, 25 de Outubro de 2014

  • 21/04/2014
  • 19:53
  • Atualização: 19:57

Portuguesa vê possível exclusão da Série B como “incabível”

Procuradoria do STJD fará pedido nesta terça por abandona da partida contra Joinville

  • Comentários
  • Lancepress

O novo vice-presidente jurídico da Portuguesa, José Luiz Ferreira de Almeida, vê como "incabível" a intenção do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) de pedir a exclusão do time da Série B do Brasileirão por ter abandonado a partida contra o Joinville, na última sexta-feira, na Arena Joinville. A denúncia contra a Lusa será registrada nesta terça pelo procurador-geral do STJD, Paulo Schmitt.

• Procuradoria do STJD vai pedir exclusão da Portuguesa da Série B

“É incabível. Ele (Paulo Schmitt) vai pedir a nossa exclusão? Incabível. A Portuguesa só deixou a partida por causa de uma ordem judicial. A esfera esportiva não pode sobrepor uma decisão judicial”, declarou José Luiz Ferreira de Almeida. “Já estamos preparando a nossa defesa, mas não vamos revelar nada enquanto não recebermos oficialmente a denúncia”, complementou.

A procuradoria-geral do STJD articula uma denúncia baseada no artigo 205 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que prevê multa, perda de pontos em favor do adversário e, comprovado prejuízo a terceiros, como outras equipes e torcedores, a exclusão da competição em disputa.

De acordo com o procurador-geral, Paulo Schmitt, o clube paulista deverá responder também pela infração ao artigo 69, inciso 2, do Código Disciplinar da Fifa. O texto prevê rebaixamento a quem "influenciar o resultado da partida contrariando a ética desportiva".

Os jogadores da Lusa saíram de campo aos 17 minutos do primeiro tempo, com o jogo empatado por 0 a 0, por conta de uma liminar obtida no último dia 10 por um torcedor. A decisão foi cassada no sábado e, segundo a CBF, ela já nem mesmo valia antes por causa da decisão do STJ de concentrar as ações que envolvem o rebaixamento da Série A na Justiça do Rio de Janeiro. O STJD deverá julgar o caso no início da próxima semana.

Bookmark and Share