Porto Alegre, sábado, 1 de Novembro de 2014

  • 05/05/2014
  • 16:07
  • Atualização: 16:31

Aldo Rebelo faz diagnóstico sobre violência nos estádios: “Falta prender”

No Rio de Janeiro, ministro do Esporte disse que impunidade estimula a prática do crime

Ministro Aldo Rebelo diz que impunidade estimula violência nos estádios | Foto: Samuel Maciel / CP Memória

Ministro Aldo Rebelo diz que impunidade estimula violência nos estádios | Foto: Samuel Maciel / CP Memória

  • Comentários
  • Lancepress

Durante um simpósio que discutiu a Copa do Mundo de 2014, em Niterói, no Rio de Janeiro, nesta segunda-feira, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, fez seu diagnóstico para explicar os recorrentes casos de violência nos estádios brasileiros. Para Rebelo, o que faltam são prisões em flagrante.

Segundo ele, as ferramentas para o combate à violência e melhoria do ambiente nos estádios já estão contempladas pelo Estatuto do Torcedor. A aplicação, no entanto, deixa a desejar. “Ficou demonstrado que, quando necessárias, (as prisões) não aconteceram”, disse Rebelo, que usou como exemplo o caso da briga entre torcedores do Vasco e Atlético-PR.

• STJD mantém Arruda interditado e suspende organizadas do Santa Cruz

• Dilma defende delegacias especializadas nos estádios de futebol

O ministro exigiu o fim da impunidade para casos como o que resultou na morte de um torcedor do lado de fora do Arruda, em Recife. Após o jogo entre Santa Cruz e Paraná, o torcedor Paulo Ricardo Gomes da Silva foi vítima de um vaso sanitário atirado da arquibancada do estádio tricolor.

O ministro disse ainda que atos violentos no esporte não são um privilégio do Brasil, mas deu a sua receita para que haja uma mudança da mentalidade em relação ao esporte no país da Copa. “A impunidade estimula a prática do crime. Terminar com esse ciclo já seria um bom começo”.

Nesta segunda-feira, Aldo Rebelo visitou a Gávea, um dos Centros de Treinamentos de Seleções (CTS) chancelados pelo Comitê Organizador da Copa (COL) e que será adotado pela seleção da Holanda no Mundial. De lá, o ministro e sua comitiva seguiram para um resort em Mangaratiga, na Costa Verde, para vistoriar as instalações que vão receber a Itália.

Bookmark and Share