Correio do Povo

Porto Alegre, 30 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
9ºC
Amanhã
15º 26º


Faça sua Busca


Esportes

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

23/05/2014 17:03 - Atualizado em 23/05/2014 17:21

Brasil perde em casa para a Itália na estreia da Liga Mundial de Vôlei

Brasileiros foram surpreendidos em partida realizada em Jaraguá do Sul, em Santa Catarina

A Seleção Brasileira já sabia das dificuldades que teria na estreia da Liga Mundial. Na partida contra a Itália, nesta sexta-feira, o time só aumentou a certeza de que o caminho é longo para o sucesso de outros tempos. Com um elenco entrosado e efetivo nas jogadas de definição, a Azzurra derrotou os comandados de Bernardinho por 3 sets a 1, parciais de 25-19, 27-25, 25-22, para o Brasil, e 25-21, na Arena Jaraguá, em Jaraguá do Sul (SC), em partida do Grupo A.

O pouco tempo de treinamentos e a irregularidade típica de um início de temporada internacional pesaram mais do que a torcida que lotou as arquibancadas do ginásio. O Brasil deixou a desejar na recepção, o que inibiu as jogadas em velocidade. Os destaques do jogo foram o ponteiro Kovar, com oposto Zaytseve. Pelo Brasil, Leandro Vissotto foi quem mais apareceu. As equipes voltam a se enfrentar neste sabado, às 10h (de Brasília), no mesmo local.

Embora cercada de incertezas sobre o que se esperar da Seleção Brasileira, a estreia mostrou que a opção de Bernardinho no momento é pela segurança dos veteranos. Em quadra, o experiente Murilo, em seu retorno oficial ao time depois de um ano ausente para tratar a incômoda lesão no ombro, além de Leandro Vissotto, Lucarelli, Sidão, Lucão, Bruninho e Mário Júnior.

Com um grupo renovado, mas mais entrosado que o verde-e-amarelo, a Itália não teve problemas para abrir vantagem e segurar a diferença. Nos bons ataques de Zaytsev e Kovar, a Azzurra não deu muitas chances. Para piorar, o Brasil se perdeu na recepção. Com jogada previsível, Lucarelli deixou o ataque na rede e os italianos abriram 20-12.

Apesar de tudo, a torcida apoiava, e o bloqueio brasileiro fez até o técnico Mauro Berruto interromper o jogo, após Murilo parar o ataque pela saída de rede de Travica. Mas foi só um princípio de reação. Os visitantes retomaram o foco para fecharem sem dificuldades a parcial em 25-19.

O Brasil voltou seguro para o segundo set. Vissotto, nos ataques pela saída e no bloqueio, causou os primeiros transtornos aos italianos. E a torcida enfim presenciou a equipe da casa em vantagem, após Lucarelli soltar o braço e fazer 8 a 6.

Mesmo assim, a Itália tratou de fazer frente, contando com a ajuda dos erros de passe brasileiros, fundamento ainda longe do ideal. Bernardinho tentou Rapha e Theo na inversão, mudança que num primeiro momento não funcionou. A torcida local viu a Itália voltar ao comando. Lucarelli sentiu o peso do bloqueio e deixou um saque na rede.

A Seleção bem que mostrou poder de recuperação, sobretudo graças aos saques potentes de Lucão e Sidão. O time teve o set point, mas nao aproveitou. Duas falhas consecutivas - um toque na rede e um ataque fora - levaram a Itália à vitória por 27-25.

Ninguém deixou de acreditar. A torcida manteve o apoio, e o Bernardinho mandou o mesmo grupo para a terceria e decisiva etapa. E o mesmo se repetiu. A Seleção foi melhor no início, parecendo digerir rápido a derrota no set anterior, e abriu 8 a 6. Mas a partir do 11º ponto, voltou a ceder erros, ver o crescimento da Itália no saque e presenciar a confiança de Kovar e Zaytsev.

Foi aí que a emoção tomou conta do jogo. Bernardinho novamente apostou na inversão com Rapha e Theo no momento decisivo do set. Com jogadas precisas do primeio e um ataque firme do segundo, o time fechou o set por 25-22 e respirou na partida.

No quarto set, Bernardinho deu uma chance para o jovem líbero Felipe, que passou a se revezar com Mário Júnior no fundo. Apesar das tentativas de Bruninho de colocar os centrais no jogo, a bola ainda custava a chegar na mão. Num erro de Lucão, a Itália abriu 8-6. Os brasileiros perseguiam os rivais, mas estava dificil voltar à liderança.

O Brasil lutou até o fim, mas o dia era de Zaytsev, que não perdoava a cada pancada. Em um ace de Parodi, a Itália chegou à vitória.

Bookmark and Share

Fonte: Correio do Povo






O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.