Porto Alegre, segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

  • 24/06/2014
  • 14:53
  • Atualização: 16:35

Aguerrido, Uruguai supera Itália e garante classificação na Copa

Zagueiro Godín fez 1 a 0 na Arena das Dunas, em Natal

Godín marcou o gol do Uruguai | Foto: Emmanuel Dunnand / AFP / CP

Godín marcou o gol do Uruguai | Foto: Emmanuel Dunnand / AFP / CP

  • Comentários
  • Luiz Felipe Mello / Correio do Povo

A raça sul-americana falou mais alto e o Uruguai superou a Itália na tarde desta terça-feira na Arena da Dunas, em Natal. Com a vitória de 1 a 0, a Celeste Olímpica garantiu classificação para as oitavas de final da Copa do Mundo em segundo lugar no Grupo D. O gol foi marcado pelo zagueiro Godín, aos 35 minutos do segundo tempo.

Com seis pontos conquistados, o Uruguai agora aguarda o primeiro lugar do Grupo C, que tem Colômbia na liderança e Costa do Marfim com o segundo posto. O próximo compromisso da Celeste está marcado para o próximo sábado, às 17h, no estádio do Maracanã.  

Placar fechado no primeiro tempo

Uruguai e Itália começaram o confronto pelo Grupo D na Arena das Dunas com uma postura de muita cautela. O primeiro tempo não reservou muitas emoções aos torcedores que foram assistir ao jogo na cidade de Natal. Com um novo esquema, o 3-5-2, a Azurra deveria ser mais ofensiva, já que o técnico Cesare Prandelli optou por escalar Immobile ao lado de Balotelli. Não foi o que se viu. A equipe italiana da etapa inicial teve uma atuação amarrada, a exemplo da partida contra Costa Rica. A causa principal foi a boa marcação da defesa uruguaia, que não dava refresco para Pirlo, cortando a principal fonte de alimentação do ataque.

O Uruguai parecia determinado a levar o 0 a 0 para o intervalo. Se esta era a estratégia, o técnico Oscar Tabárez poderá dizer que seus comandados cumpriram a suposta determinação à risca. O time sul-americano apostou muito nos avanços de Álvaro Pereira pela esquerda, mas todos acabavam na boa intervenção de Darmian ou dos zagueiros Chielini e Bonucci. Qualquer falta na intermediária virava a esperança de gol para a Celeste. Um desejo que não se concretizou no primeiro tempo.

Embora tivesse mais posse de bola, a Itália tropeçava nas próprias pernas. Parecia atrapalhada pelo calor e por isso fez um jogo de empate, que lhe favorecia por conta da pontuação alcançada nos jogos anteriores. A movimentação de Verratti até chegou a incomodar os uruguaios, mas nada que pudesse comprometer a defesa uruguaia.

O primeiro e único grande lance da etapa inicial nasceu aos 31 minutos. Suárez tabelou com Lodeiro de forma curta e a bola sobrou para o camisa 9 dentro da área. Cara a cara com Buffon, o uruguaio chutou forte, mas o arqueiro italiano já estava em cima da jogada e evitou o que poderia ser o gol da Celeste Olímpica. O placar permaneceu fechado no final do primeiro tempo, resultado insuficiente para uruguaios, mas ideal para que os italianos seguissem com vida na Copa do Mundo.

Godín coloca o Uruguai nas oitavas

O segundo tempo para Uruguai e Itália valia sobrevivência na Copa e começou com mudanças nas duas formações. O técnico Cesare Prandelli tirou Balotelli e colocou o centroavante Parolo para compor o ataque. Tabárez mexeu no time ao sacar Lodeiro e escalar Maxi Pereira.

Aos 12 minutos, o Uruguai encontrou uma boa chance para abrir o placar. Após boa jogada pela esquerda, Suárez lançou Cristian Rodríguez dentro da área, que ficou cara a cara com Buffon. O chute do meia-atacante saiu desviado para alívio da torcida italiana.

O time sul-americano começou a gostar do jogo e cresceu ainda mais na partida aos 13 minutos, quando Marchisio fez uma falta forte em Arévalo Rios. O árbitro Marco Rodríguez puniu o volante com cartão vermelho e deu a chance que os uruguaios precisavam para buscar a classificação.

A posse de bola, que foi da Itália durante o primeiro tempo, passou para o domínio uruguaio. Sentindo que a sua equipe ingressava em um bom momento no jogo, Oscar Tabárez tirou o lateral Alvaro Pereira e colocou o atacante Stuani. Assim o Uruguai ficou com três homens de frente para sufocar a zaga da Azurra. Aos 20 minutos, a Celeste teve uma nova chance. Cavani tentou chute da entrada da área. A defesa italiana abafou o lance, mas a bola sobrou para Suárez, que conclui o lance para mais uma grande intervenção de Buffon.

Em um lance polêmico, aos 33 minutos do segundo tempo, Suárez mordeu o zagueiro Chiellini e não foi advertido pela arbitragem. A jogada de ataque do Uruguai foi anulada com uma simples falta assinalata por Marco Rodríguez. Os jogadores italianos reclamaram e pediram a expulsão do atacante uruguaio. 

Correndo atrás do resultado, o Uruguai investia a todo momento nos cruzamento de Maxi Pereira pela direita. Qualquer lançamento preciso para dentro da área poderia ser aproveitado por Cavani, Stuani ou Suárez. A jogada aérea funcionou aos 35 minutos, após uma cobrança de escanteio. Godín subiu mais alto que a zaga Itália e cabeceou firme para fazer 1 a 0.

O resultado foi protegido com unhas e dentes pelos uruguaios. Os três atacantes passaram a ser defensores, com Cavani evitando as saídas de De Sciglio e Suárez vigiando as investidas de Chiellini. Com um homem a menos, Itália até se esforço para buscar o gol de empate. Apesar dos cruzamentos e lançamentos de Pirlo, a zaga uruguaia permaneceu inviolável durante todo o jogo.

A atuação da Celeste não foi brilhante durante os 90 minutos, mas teve todos os ingredientes que agradam os uruguaios em uma Copa do Mundo: sofrimento, garra e vitória.    

Grupo D


Uruguai 1

Muslera; Martín Cáceres, Giménez, Diego Godín e Álvaro Pereira (Stuani); Álvaro González, Arévalo Ríos, Lodeiro (Maxi Pereira) e Cristian Rodríguez (Ramírez); Edinson Cavani e Luis Suárez. Técnico: Oscar Tabárez.

Itália 0

Buffon; Bonucci, Barzagli e Chiellini; Darmian, Verratti, Pirlo, Marchisio e De Sciglio; Immobile (Cassano) e Balotelli (Parolo). Técnico: Cesare Prandelli.

Gols: Godín, aos 35/2º;

Cartões Amarelos: Balotelli (I); Arévalo Rios (U); De Sciglio (I);
Cartão Vermelho: Marchisio (I)

Árbitro: Marco Rodríguez (MEX)
Auxiliares: Marvin Torrentera (MEX) e Marcos Quintero (MEX).
Local: Arena das Dunas, em Natal (RN).

Assista ao gol de Diego Godín em 3D:



Bookmark and Share