Porto Alegre, sábado, 25 de Outubro de 2014

  • 24/09/2011
  • 19:06
  • Atualização: 19:55

Horário brasileiro de verão entra em vigor em três semanas

Expectativa é de economizar 0,5% de energia a partir de 16 de outubro

Horário de verão chega em três semanas | Foto: Mauro Schaefer / CP Memória

Horário de verão chega em três semanas | Foto: Mauro Schaefer / CP Memória

  • Comentários
  • Mônica Bidese / Correio do Povo

O horário de verão vai vigorar entre 16 de outubro e 26 de fevereiro. A iniciativa gera controvérsia, mas o governo reafirma a necessidade pela economia de energia que possibilita nos meses de pico de consumo. Com a adoção da medida na última edição, foi possível economizar 0,5% ou 226 gigawatts (GW) na região Sul e 560 (GW) no Sudeste e no Centro-Oeste, conforme cálculos do Ministério de Minas e Energia.

A Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) informa que no Rio Grande do Sul, ao contrário do restante do país, a demanda máxima de energia tem sido registrada no horário da tarde, entre 14h e 15h, quando há um conjunto de cargas de refrigeração utilizadas por todos os segmentos de consumo, intensificadas nos dias mais quentes. Pelo menos isso foi verificado na edição passada e o mês com maior demanda era janeiro, quando ocorreram três recordes: no dia 25, com 5.547 megawatts (MW), no dia 17, com 5.481 MW, e no dia 10, com 5.273 MW.

O recorde anterior, apurado em 12 de fevereiro de 2010, alcançou 5.268 MW. A expectativa da CEEE é que a meta de redução de carga em 4,6% no horário de demanda máxima do sistema no RS seja atingida, assim como a queda no consumo total do Estado em 0,5% nessa edição.

Na área de atuação da CEEE Distribuição, responsável pelo atendimento a 1,45 milhão de consumidores de 72 municípios das regiões Metropolitana, Sul, Litorais Norte e Sul, Centro-Sul e Campanha, a economia deve ser de cerca de 18.500 MW ou o equivalente ao consumo de energia de quatro meses do município de Pinheiro Machado, assim como ocorreu na edição anterior.

Demanda caiu 4,7% em dez anos

O horário de verão possibilitou, nos últimos dez anos, uma redução média de 4,7% na demanda de energia no horário de maior consumo, o chamado horário de "pico", que ocorre entre as 18h e as 21h. A partir de 16 de outubro, a medida estará sendo adotada pela 37 vez. O decreto de 8 de setembro de 2008, assinado pelo então presidente Lula, estabeleceu os padrões para parte do território nacional: início a partir do primeiro minuto do terceiro domingo do mês de outubro de cada ano, voltando ao horário habitual no primeiro minuto do terceiro domingo de fevereiro do ano subsequente.

Os relógios deverão ser adiantados em uma hora em relação à hora legal. No ano em que houver coincidência entre o domingo previsto para o término do horário de verão e o domingo de Carnaval, o encerramento será feito no domingo seguinte. E é justamente o caso do Carnaval do ano que vem, que será comemorado nos dias 18 (sábado), 19 (domingo), 20 (segunda-feira) e 21 (terça-feira). Por isso o término ocorrerá no dia 26 de fevereiro. Será o mais longo horário de verão em parte do Brasil. A medida vai vigorar no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, além do Distrito Federal.

Bookmark and Share