Porto Alegre

17ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

  • 28/12/2011
  • 07:19
  • Atualização: 08:38

Samuka é adotado, ganha novo lar e uma companheira

Cão fez vigília em frente a hospital de São Pedro do Sul, onde dono morreu

  • Comentários
  • Renato Oliveira / Correio do Povo

O cão Samuka, que transformou em moradia o pátio do Hospital de Caridade de São Pedro do Sul desde que o dono morreu, em agosto, ganhou um novo lar. A advogada Luiza Comassetto, que reside na cidade da região Central do Estado, resolveu adotar o animal que comoveu leitores do Correio do Povo e o levou para casa no último dia 17. Sem desistir da vigília que manteve durante quatro meses na instituição de saúde, o cachorro recebia o carinho dos funcionários e também cuidados da veterinária Valéria Cintia Farias. Conforme Luiza, além da nova moradia, Samuka tem agora uma companheira, a cadela de estimação da família, chamada Queiti.

Luiza conta que agora tem um companheiro para as suas tradicionais caminhadas pelas ruas da cidade, nos finais de tarde. Segundo a advogada, o cachorro é muito inteligente e gosta de abraçar quem se aproxima dele. Ela destaca que, quando Samuka chegou à sua residência, estava triste e não queria se alimentar. Ele foi então levado a uma veterinária. "Depois de medicado, começou a se ambientar e hoje é uma das alegrias da nossa casa", acrescenta. 

A enfermeira Nair Matias diz que já sente saudade do antigo morador e destaca que todos gostavam dele na casa de saúde. A professora Vera Resende, que faz parte da Associação de Proteção do Animais e mora em Santa Maria, revela que ficou emocionada ao saber que o cão tem um novo lar e elogia a atitude da advogada de adotá-lo.

Entenda o caso:

Uma demonstração de fidelidade comoveu direção, funcionários, pacientes e visitantes do Hospital de Caridade de São Pedro do Sul, cidade localizada na região Central do Estado. Desde que o dono morreu, há cerca de quatro meses, o cão havia transformado o pátio da instituição de saúde em moradia.

A enfermeira Nair Matias contou que tudo teve início em agosto, quando a ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi até a rua Coronel Scherer para socorrer um homem idoso que morava sozinho e passava mal. O cachorro do paciente seguiu o veículo até o hospital e permaneceu no local. 

No hospital, o cão recebeu o carinho dos funcionários e dos profissionais do Samu. Ele se tornou o mascote e recebeu o nome carinhoso de Samuka. Segundo a recepcionista Eloir Cristina Rodrigues, os familiares do dono haviam tentado várias vezes levar o bichinho para casa, mas ele voltava sempre que surgia oportunidade.

Cão morou quatro meses no pátio de hospital / Foto: Franciele Volpatto / Especial CP

Bookmark and Share