Porto Alegre, segunda-feira, 22 de Dezembro de 2014

  • 21/09/2012
  • 20:28
  • Atualização: 00:04

Com 42 cidades em emergência, RS tem primeiro decreto de calamidade pública

Boletim da Defesa Civil relata outras 15 notificações de desastre

Temporal desta semana assolou interior do Estado | Foto: Felipe Dorneles / Especial / CP

Temporal desta semana assolou interior do Estado | Foto: Felipe Dorneles / Especial / CP

  • Comentários
  • Samuel Vettori / Rádio Guaíba

Dobrou para 42 o número de municípios gaúchos que decretaram emergência desde terça-feira em função do temporal que atingiu o Estado. No levantamento da manhã, eram 21. A situação mais grave é registrada em Inhacorá, na região Celeiro, ao Norte do Estado, o primeiro a encaminhar decreto de calamidade pública.

Outros 15 prefeitos encaminharam à Defesa Civil gaúcha Notificações Preliminares de Desastre (NoPred), documento que antecede o decreto de emergência. A estimativa do órgão é de que chegue a 184,2 mil (pela manhã eram 123,7) o número de pessoas atingidas pela intempérie, com mais de 25 mil gaúchos fora de casa – 13,5 mil desalojados (foram para residências de parentes), 13,6 mil desabrigados (estão em locais públicos) e 2,9 deslocados.

A Defesa Civil registrou uma morte como consequência indireta do temporal. Na quarta-feira, o empresário Laércio Von Müller Menezes, de 38 anos, proprietário da Vidronorte, morreu ao tentar consertar o telhado da empresa, localizada na rua Pedro Álvares Cabral, em Espumoso. A estrutura tinha goteiras em consequência do temporal que atingiu a cidade. A vítima subiu para tapar os buracos, mas se desequilibrou e despencou de uma altura aproximada de 4 metros.

Levantamento da Rádio Guaíba registrou, no entanto, outras mortes e pessoas desaparecidas em situações que, de alguma forma, tiveram relação com o mau tempo.

Cerca de 30,1 mil pontos seguiam sem energia elétrica no Rio Grande do Sul, às 23h30min desta sexta, em função do temporal seguido de ciclone registrado entre segunda e quarta-feira. Na área de atendimento da CEEE eram 27, 8 mil pontos sem energia elétrica nas regiões Metropolitana (2,6 mil), Centro Sul (4,6 mil), litoral Sul (10,1 mil), Sul (9,1 mil) e litoral Norte (1000) e campanha (460).

Na área de concessão da Rio Grande Energia (RGE), ainda haviam cerca de 2,3 mil economias desabastecidas. As regiões mais afetadas são as Noroeste e Celeiro. De acordo com a assessoria de imprensa da companhia os reparos e trabalhos mais simples já foram finalizados e, a partir de agora, a fase é de retirada de postes e reestruturação de ligações, o que demanda mais tempo. Já na área da AES Sul, onde mil clientes ainda permaneciam sem energia elétrica, o serviço foi totalmente normaizado por volta das 16h.

Nessa quinta-feira, o Procon do Rio Grande do Sul confirmou que pode penalizar as concessionárias de energia em razão da demora para restabelecer o serviço. Conforme o coordenador estadual do órgão, Cristiano Aquino, tão logo os problemas sejam solucionados, o Procon deve entrar em contato com as empresas a fim de verificar quanto tempo demorou para o serviço ser restabelecido, para toda a rede, e porque o serviço de atendimento ao consumidor foi deficitário.

Mortes

• O funcionário de uma empresa de estruturas metálicas morreu pouco antes das 9h, ao cair de uma altura de nove metros, em Cachoeira do Sul. De acordo com o Corpo de Bombeiros, ele fazia o conserto do telhado de uma madeireira danificado pelo temporal que atingiu o Estado, quando ocorreu o acidente. Lucas Silveira Neto, 22 anos, não tinha equipamento de proteção individual, conforme a corporação.

• Mergulhadores da Prefeitura Naval argentina localizaram, no fim da tarde de quinta-feira, o corpo do trabalhador Miguel Angel Quiones, de 45 anos, que havia desaparecido na manhã dessa quarta-feira, no rio Uruguai. Segundo o sargento Luiz Carlos da Silva, do Corpo de Bombeiros de São Borja, o corpo da vítima foi encontrado do lado argentino. Quiones caiu da Ponte Internacional de São Borja, na fronteira Oeste do Estado, quando fazia reparos no local. Chovia e o vento era forte no momento.

Desaparecidos

• Torres - Um pescador de 17 anos, identificado como Lucas Rocha dos Santos, que desapareceu na madrugada de quarta-feira no rio Mampituba, na divisa entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, ainda não foi encontrado. Bombeiros de Sombrio e de Torres seguem os trabalhos de busca. O jovem estava em um barco que virou devido ao vendaval com outras oito pessoas, incluindo o pai dele, que sobreviveram.

• Nova Bassano - Bombeiros de Veranópolis e do Grupamento de Busca e Salvamento de Porto Alegre seguem tentando localizar o agricultor Sidinei Ribeiro Godoi, de 40 anos, que desapareceu na noite de quarta-feira, na linha Silva Jardim, no interior do município. A suspeita é que ele tenha caído no rio Sabia. De acordo com a Brigada Militar (BM), um cunhado da vítima informou que ambos estavam pescando quando despencaram de um barranco. Márcio Schmidt, de 34 anos, contou ter desmaiado e acordado tempo depois sozinho ao lado do leito do rio. Para ele, Godoi pode ter caído na água.

Municípios

– Encaminhou decreto de Calamidade Pública (1):
Inhacorá

– Encaminharam decretos de Emergência (42):
Alegria
Alvorada
Arvorezinha
Barra do Ribeiro
Boa Vista do Cadeado
Bozano
Campina das Missões
Cândido Godoi
Cerro Grande do Sul
Chiapetta
Constantina
Cruz Alta
Espumoso
Esteio
Ernestina
Giruá
Ibirubá
Ibirapuitã
Ijuí
Lagoa dos Três Cantos
Itapera
Itapuca
Mormaço
Nova Ramada
Pejuçara
Palmeira dos Missões
Panambi
Porto Lucena
Porto Vera Cruz
Porto Xavier
Rondinha
Santa Rosa
Santo Augusto
Santo Cristo
São Jerônimo
São Luiz Gonzaga
São Valério do Sul
Sentinela do Sul
Soledade
Tapes
Tapera
Viamão

– Encaminharam NoPreds (15):
Amaral Ferrador;
Arroio dos Ratos;
Arambaré;
Canguçu;
Camaquã;
Chuvisca;
Colorado;
Dom Feliciano;
Não-Me-Toque;
Novo Xingu;
Rio Grande;
Sarandi;
Sertão Santana;
Sentinela do Sul;
Senador Salgado Filho


Bookmark and Share