Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 01/04/2013
  • 18:32
  • Atualização: 20:25

Estudantes voltam a protestar contra aumento de passagem em Porto Alegre

Grupo entregou flores a policiais enquanto centenas se manifestavam em frente à prefeitura

  • Comentários
  • Correio do Povo e Rádio Guaíba

Centenas de estudantes se reuniram em frente à sede da prefeitura de Porto Alegre para mais um protesto contra o aumento da tarifa de ônibus. A primeira manifestação diferenciada ocorreu por volta das 18h, quando dois participantes com o rosto coberto distribuíram flores aos policiais militares. Durante a entrega, eles registravam com uma máquina fotográfica o rosto de cada soldado.

O cruzamento da General Câmara com Siqueira Campos ficou bloqueado para o fluxo de veículos. Posteriormente, o grupo contornou o Mercado Público e seguiu pela Júlio de Castilhos. Homens do Pelotão de Operações Especiais e da Cavalaria da Brigada Militar, além de agentes da EPTC, acompanham a manifestação. O grupo deverá seguir as manifestações no Largo Zumbi dos Palmares, na Cidade Baixa.

A nova concentração de pessoas foi organizada pelo Facebook com a expectativa de reunir mais de 5,4 mil pessoas em frente à prefeitura. O objetivo do protesto é sinalizar o descontentamento da população com o aumento da passagem de ônibus de R$ 2,85 para R$ 3,05 – que passou a vigorar na última segunda-feira. Uma série de manifestações presssiona o Executivo municipal a reduzir a tarifa para R$ 2,60. À tarde, o prefeito, José Fortunati, recebeu representantes de entidades estudantis para tratar das reivindicações.

De acordo com comunicado da União Estadual dos Estudantes do Rio Grande do Sul (UEE/RS), foi entregue ao prefeito municipal documento "fruto de uma ampla mobilização das organizações estudantis, envolvendo 25 entidades", entre elas o Centro Estadual da Engenharia da Ufrgs (Ceue), da UFRGS, a UGES, a UBES e a UMESPA. Enviaram representantes à reunião estudantes ligados aos Diretórios Acadêmicos da Uniritter, do Centro Universitário Metodista IPA, das Faculdades Riograndenses (Fargs) e da Faculdade São Francisco de Assis (Unifin).

Na última quarta-feira, um grupo de manifestantes tentou invadir a sede da prefeitura durante manifestação. O protesto, que começou pacificamente, foi interrompido por vândalos que quebraram vidraças, danificaram a porta de entrada do prédio e picharam a fachada.

O pelotão de choque da Brigada Militar (BM) conteve o grupo de manifestantes com gás lacrimogênio, escudos e cassetetes. Pelo menos duas pessoas se feriram – uma mulher e um guarda municipal. Gritando palavras de ordem, a maioria dos manifestantes caminhou até o Palácio da Polícia, na avenida João Pessoa.

Com informações de Cristiano Soares.

Bookmark and Share