Correio do Povo

Porto Alegre, 23 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
14ºC
Amanhã
14º 23º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

10/12/2013 10:15 - Atualizado em 10/12/2013 11:49

Obama exalta Mandela e critica líderes que reprimem dissidência

Presidente dos EUA discursou na cerimônia de homenagem ao ex-líder sul-africano

Obama destacou Mandela como um gigante da história<br /><b>Crédito: </b> Alexander Joe / AFP
Obama destacou Mandela como um gigante da história
Crédito: Alexander Joe / AFP
Obama destacou Mandela como um gigante da história
Crédito: Alexander Joe / AFP

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, exaltou Nelson Mandela como "um gigante da justiça" nesta terça-feira em seu discurso de homenagem ao ex-presidente sul-africano, e disse que muitos líderes do mundo alegaram solidariedade com a luta de Mandela pela liberdade, "mas não toleram a dissidência de seu próprio povo".

Após discursar por cerca de vinte minutos em homenagem ao líder sul-africano Nelson Mandela, Obama foi aplaudido no Soccer City. O presidente dos EUA citou frases de Mandela em diversos momentos do tributo e agradeceu o povo da África do Sul por compartilhar Mandela com o mundo. “A luta dele, foi sua luta. O triunfo dele, foi seu triunfo. Sua dignidade e sua esperança encontraram expressão na vida dele e na luta pela democracia”, disse aos participantes.

De acordo com o presidente dos EUA, Nelson Mandela foi o último libertador do século 20. Ele comparou o sul-africano ao líder indiano Mahatma Ghandi e ao ex-presidente norte-americano Abraham Lincoln – que, segundo ele, mantiveram os respectivos países unidos em um contexto de separação. “Ele compartilhou conosco suas falhas. Disse que não era um 'santo, mas um pecador que continuava tentando'”, discursou Obama, citando as palavras de Mandela.

O chefe de Governo dos Estados Unidos mencionou ainda o valor que Nelson Mandela deu à razão, à argumentação e às ações. “Ele entendeu que ideias não podiam ser extintas pelas paredes de uma prisão ou por balas de um atirador. Ele se condicionou, treinou para ser um defensor, afiou seus argumentos e disseminou seu ímpeto por conhecimento. Ele demonstrou que ideais sem ação não são suficientes”, disse.

Para ele o trabalho de Nelson Mandela, não chegou ao fim. O presidente pediu aos jovens que ajam em nome da paz. “Nós podemos fazer da vida dele, a nossa. Há 30 anos, Mandela me inspirou. Ele me fez querer ser um homem melhor.”

Bookmark and Share


Fonte: AE e Agência Brasil







O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.