Correio do Povo

Porto Alegre, 24 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
18ºC
Amanhã
12º 22º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

25/12/2013 10:49 - Atualizado em 25/12/2013 13:16

Rússia põe fim às acusações contra militantes do Greenpeace

Bióloga gaúcha Ana Paula Maciel vai agora pedir visto para voltar ao Brasil

Bióloga gaúcha Ana Paula Maciel (C) durante julgamento na Rússia<br /><b>Crédito: </b> Dmitri Sharomov / Greenpeace / AFP / CP
Bióloga gaúcha Ana Paula Maciel (C) durante julgamento na Rússia
Crédito: Dmitri Sharomov / Greenpeace / AFP / CP
Bióloga gaúcha Ana Paula Maciel (C) durante julgamento na Rússia
Crédito: Dmitri Sharomov / Greenpeace / AFP / CP

A justiça russa colocou nesta quarta-feira um fim às acusações judiciais contra os militantes do Greenpeace, que foram denunciados por vandalismo após uma ação de protesto no Ártico, em setembro. A bióloga gaúcha Ana Paula Maciel está entre os beneficiados pela decisão. Os ativistas já haviam sido anistiados por uma nova lei do Parlamento russo.

Em sua conta no Twitter, a organização anunciou sucessivamente o encerramento dos processos contra o grupo. Conforme a organização, o Comitê de Investigação russo convocou os ativistas em massa para encerrar o caso.

Agora, de acordo com o Greenpeace, os 26 integrantes do grupo de nacionalidade não russa vão entrar com pedido de vistos de saída para finalmente poderem deixar o país. Uma reunião com o Serviço de Migração Federal está marcada para esta quarta. Os ativistas devem deixar o país já nos próximos dias.

“Este é o dia que estávamos esperando desde que nosso navio Arctic Sunrise foi ocupado por forças armadas mais de três meses atrás. Estou feliz e aliviado que as acusações tenham sido derrubadas, mas não deveríamos ter sido acusados de nada”, disse o norte-americano Peter Willcox, capitão do navio Arctic Sunrise. 

“A nossa saga deve acabar logo, mas não existe anistia para o Ártico. A Gazprom acabou de começar a perfurar outra vez. Então, quando isso acabar, nós continuaremos nossa missão de proteger o Ártico das petrolíferas gananciosas”, afirmou a brasileira Ana Paula. “É um absurdo que tenhamos sido perdoados de um crime que não cometemos. Não sou culpada e nunca fui. Estou triste de deixar a Rússia enquanto nosso navio Arctic Sunrise permanece aqui", acrescentou.

Família prepara churrasco para brasileira

A família da bióloga brasileira prepara uma festa para recebê-la em Porto Alegre, ainda em data incerta. No fim de novembro, todos foram libertados mediante pagamento de fiança e ficaram aguardando a tramitação do processo em que eram acusados de "vandalismo" em São Petersburgo. Agora, com a anistia e fim do processo, todos poderão voltar às suas casas depois de cumprir formalidades legais.

A motorista Rosângela Maciel, mãe de Ana Paula, prepara uma festa desde o aviso da anistia. "Toda a família está avisada, inclusive tias e primas, e vai recepcioná-la com um churrasco", garantiu. Rosângela esteve com Ana Paula por uma semana, em São Petersburgo, no fim de novembro. "Ela estava ótima, firme, forte e convicta de que tudo terminaria bem", recordou.

Bookmark and Share


Fonte: Correio do Povo







O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.