Correio do Povo

Porto Alegre, 23 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
18ºC
Amanhã
15º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

11/01/2014 10:34 - Atualizado em 11/01/2014 11:35

Morre o ex-primeiro-ministro israelense Ariel Sharon

Político tinha 85 anos e estava em coma desde 2006

Político estava em coma desde 2006. Clique para ver mais fotos
Crédito: Menahem Kahana / AFP / CP

O ex-primeiro-ministro israelense Ariel Sharon, de 85 anos, morreu neste sábado. Em coma desde 2006, a saúde do político piorava a cada dia, segundo boletins médicos do Hospital Tel Hashomer, em Tel Aviv. A informação foi confirmada pelo gabinete do premiê Benjamin Netanyahu. 

• Sharon queria fixar as fronteiras de Israel
• Ariel Sharon era um criminoso, dizem palestinos

Sharon passa por intervenções médicas desde setembro de 2013 devido à um problema estomacal. A partir de 1º de janeiro, seu estado se agravou. Na última quarta, os médicos descreveram a situação dele como "crítica" por causa de uma insuficiência renal, que afeta outros órgãos vitais. 

Biografia 

Nascido em uma família procedente de Belarus em 27 de janeiro de 1928, Ariel Sharon iniciou sua longa carreira no exército aos 17 anos. À frente da unidade 101 dos comandos e depois das unidades de paraquedistas, liderou operações de punição, a mais violenta terminou em 1953 com a morte de quase 60 civis na localidade palestina de Kibia.

Em 1969, Sharon debilitou por muito tempo a resistência palestina em Gaza com operações dos comandos. Durante a guerra de outubro de 1973, voltou a demonstrar suas capacidades militares ao atravessar o canal de Suez e cercar o exército egípcio com uma manobra ousada. Nesse ano, ajudou a criar o partido Likud, liberal de centro-direita. Sharon foi ministro da Defesa de Israel nos anos 80 e responsabilizado pela invasão ao Líbano em 1982 que causou os assassinatos de mais de 400 civis palestinos, o que resultou no seu afastamento do cargo

Em 28 de setembro de 2000, sua visita à Esplanada das Mesquitas em Jerusalém Oriental, terceiro local sagrado islã, provocou indignação. No dia seguinte explodiu a segunda Intifada. Mas Sharon considerou a situação apenas uma pequena batalha de uma "guerra de 100 anos" contra o sionismo e Israel.

Com a promessa de esmagar a revolta palestina, foi eleito de maneira triunfal primeiro-ministro em 6 de fevereiro de 2001 e reeleito em 28 de janeiro de 2003. Ele queria a separação dos palestinos, mas segundo as condições de Israel. Esta era a missão histórica que pretendia realizar.

Sharon foi primeiro-ministro de Israel por cinco anos, período durante o qual decidiu a retirada unilateral da Faixa de Gaza. Em 4 da janeiro de 2006, ele sofreu um derrame e permanecia desde então em estado de coma sem qualquer registro de melhora



Bookmark and Share

Fonte: AFP






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.