Correio do Povo

Porto Alegre, 20 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
20ºC
Amanhã
11º 20º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

12/01/2014 19:22 - Atualizado em 12/01/2014 20:02

Penha tem 200 mm de chuva em 80 minutos e decreta emergência

Cidade catarinense teve danos generalizados e 430 famílias desalojadas

Cidade catarinense teve danos generalizados e 430 famílias desalojadas<br /><b>Crédito: </b> Felipe Franco/Especial CP
Cidade catarinense teve danos generalizados e 430 famílias desalojadas
Crédito: Felipe Franco/Especial CP
Cidade catarinense teve danos generalizados e 430 famílias desalojadas
Crédito: Felipe Franco/Especial CP

O prefeito de Penha (SC), Evandro Eredes dos Navegantes, decretou situação de emergência na tarde de sábado em razão de temporal que causou sérios danos em praticamente todos os bairros e desalojou 430 famílias. “Foi um volume de chuva muito grande em um período de tempo muito curto. Penha nunca esteve tão destruída como agora”, definiu o prefeito. De acordo com a Defesa Civil Municipal, em uma hora e 20 minutos choveu cerca de 200 milímetros afetando, com maior ênfase, os bairros Gravatá, Praia de São Miguel, Armação, Praia Alegre, Centro e Santa Lídia.

“Os danos são visíveis em 114 ruas e avenidas da cidade. Nove acessos às praias foram destruídos. Além disso, 20 crateras se formaram em virtude do rompimento de tubulação subterrânea e impactaram diretamente mil pessoas”, observou o secretário municipal de Obras, Jonas Machado. O comandante do Corpo de Bombeiros Voluntários (CBV), Johnny Eurico Coelho, afirmou que algumas vias ficaram totalmente destruídas.

Segundo ele, a prioridade é dar assistência às pessoas desalojadas e limpar a cidade. “Depois pensaremos em recuperar os danos causados”, disse o prefeito. O CBV começou a distribuir colchões para os desabrigados, em parceria com a Secretaria Assistência Social.

Ao todo, 430 casas ficaram alagadas devido ao transbordamento do Rio Iriri. “A maré estava alta e a água da chuva torrencial ficou represada”, explicou Machado, estimando prejuízo superior a R$ 20 milhões. Também ocorreram destelhamentos. Mais de mil pessoas tiveram que procurar abrigo com parentes ou na sede do Corpo de Bombeiros Voluntários da cidade. Segundo a Defesa Civil, cerca de 4 mil pessoas foram atingidas indiretamente pelos alagamentos.

Também no Litoral Norte catarinense, Barra Velha, Balneário Piçarras, Camboriú, Itapema e Morretes tiveram prejuízos, mas nada comparado aos verificados em Penha. Ainda na sexta-feira, chuva intensa e ventos muito fortes provocaram a interrupção do fornecimento de energia para 32 mil unidades consumidoras em bairros de Criciúma, no Centro de Araranguá e nos municípios de Arroio do Silva, Nova Veneza, além de parte de Forquilhinha e Içara, no Sul do Estado. No total, oito alimentadores foram atingidos, principalmente, pela queda de vegetação sobre a rede. Nesta região, casas ficaram destelhadas e muitas árvores caíram.

Bookmark and Share


Fonte: Correio do Povo






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.