Correio do Povo

Porto Alegre, 2 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
17ºC
Amanhã
19º 28º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

15/01/2014 09:43 - Atualizado em 15/01/2014 09:48

Turista dinamarquesa é vítima de estupro coletivo na Índia

Mulher de 51 anos foi atacada por homens armados com facas

Mulher de 51 anos foi atacada por homens armados com facas<br /><b>Crédito: </b> Sajjad Hussain / AFP / CP
Mulher de 51 anos foi atacada por homens armados com facas
Crédito: Sajjad Hussain / AFP / CP
Mulher de 51 anos foi atacada por homens armados com facas
Crédito: Sajjad Hussain / AFP / CP

A polícia indiana deteve um grupo de homens após o suposto estupro de uma turista dinamarquesa de 51 anos que havia se perdido na noite de terça-feira no centro de Nova Délhi, indicaram nesta quarta-feira autoridades policiais.

A mulher havia se aproximado de um grupo de homens para perguntar o caminho de volta ao seu hotel, no bairro de Paharganj, uma zona de hotéis baratos no centro da capital indiana. Seis dos homens, armados com facas, a agrediram e roubaram seus pertences, segundo um funcionário policial e o recepcionista de um hotel, que informaram que ela estava sozinha em Nova Délhi, onde chegou na segunda-feira depois de ter visitado o Taj Mahal, em Agra.

"Interpelamos um grupo de homens e estamos interrogando-os", declarou o delegado Deepak Mishra. "A mulher declarou esta agressão à polícia e estamos investigando. Não quis se submeter a um exame médico" para confirmar o estupro, acrescentou. "Ficaram com seu telefone celular, seus euros e outros objetos", explicou.

"A vítima estava traumatizada, evidentemente, mas foi capaz de lembrar o desenrolar do crime", declarou outro funcionário da polícia que não quis se identificar. "Isto permitiu acelerar a busca dos possíveis suspeitos na zona", acrescentou.

O embaixador da Dinamarca, Freddy Svane, presente durante o depoimento da mulher perante a polícia, declarou que a vítima havia recebido assistência na embaixada, mas não forneceu mais detalhes. Esta suposta agressão de uma estrangeira em uma rua próxima à estação de Nova Délhi e de uma zona comercial voltou a levantar a questão sobre a segurança das mulheres na Índia.

Há dez dias, uma mulher polonesa foi supostamente drogada e estuprada por um taxista quando se dirigia à capital com sua filha de dois anos. Em dezembro, a Índia lembrou o primeiro ano da morte de uma estudante que sofreu um estupro coletivo em Nova Délhi, falecendo posteriormente como consequência de seus ferimentos. O caso comoveu todo o país e colocou em evidência a violência contra as mulheres.

Os casos de agressões e estupros brutais continuam enchendo as páginas dos meios de comunicação indianos.
Uma estudante foi estuprada no domingo por três homens em Ranchi, no leste do país, enquanto um amigo seu estava sequestrado, relatou o jornal Hindustan Times nesta quarta-feira. E três nepaleses foram condenados a 20 anos de prisão no mês passado pelo estupro em grupo de uma turista americana em junho, no norte do país.

Bookmark and Share



Fonte: AFP






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.