Porto Alegre, quarta-feira, 26 de Novembro de 2014

  • 17/01/2014
  • 09:36
  • Atualização: 10:02

Rússia afirma que a Síria está disposta a tomar medidas humanitárias

Anúncio foi feito pelo chefe da diplomacia Russa nesta sexta-feira

o chanceler russo, Sergei Lavrov cumprimenta o ministro do Exterior da Síria, Walid al-Moallem, em Moscou | Foto: STRINGER / POOL / AFP/ CP

o chanceler russo, Sergei Lavrov cumprimenta o ministro do Exterior da Síria, Walid al-Moallem, em Moscou | Foto: STRINGER / POOL / AFP/ CP

  • Comentários
  • AFP

O regime sírio está disposto a tomar uma série de medidas humanitárias depois que a Rússia e os Estados Unidos pediram um cessar-fogo por ocasião da próxima conferência de paz. A afirmação foi feita nesta sexta-feira pelo chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov.

As medidas incluem a troca de prisioneiros com os rebeldes e um plano de cessar-fogo limitado a cidade de Aleppo e respondem a certas condições impostas pela oposição síria no exílio, que ainda precisa decidir se participará da conferência de Genebra II, programada para 22 de janeiro em Montreux, na Suíça.

Lavrov se reuniru em Moscou com seu colega sírio, Walid al-Muallem. "São propostas concretas que já estão sendo aplicadas para entregar carregamentos humanitários aos povoados em Guta oriental e em outros regiões, incluindo os subúrbios de Damasco e de Aleppo", acrescentou.

Muallem, por sua vez, afirmou que o regime sírio está disposto a realizar uma troca de prisioneiros com os rebeldes. "Informamos ao ministro Lavrov que estamos dispostos a trocar detentos por prisioneiros capturados pelo bando contrário", declarou em coletiva de imprensa em Moscou.

Além disso, Damasco entregou a Moscou um plano para assegurar a segurança em Aleppo, segundo o ministro.
"Levando em conta o papel desempenhado pela Rússia para acabar com o derramamento de sangue na Síria, assim como a nossa relação de confiança, entreguei ao ministro Lavrov um plano sobre as medidas para assegurar a segurança da região de Aleppo", declarou. "Pedi ao ministro Lavrov para que estabeleça os contatos necessários para realizar este plano, para determinar o momento exato do fim de todas as ações militares nesta região", prosseguiu.

Apelo ao cessar-fogo

Segunda-feira, durante uma reunião entre Lavrov e o secretário de Estado americano John Kerry em Paris, os Estados Unidos e a Rússia apelaram para um "cessar-fogo" limitado geograficamente antes da conferência de paz, uma das exigências da Coalizão de Oposição síria para participar. Além disso, os dois homens e o enviado especial da Liga Árabe e da ONU para a Síria, Lakhdar Brahimi, pediram "a troca de prisioneiros" entre os rebeldes e o regime sírio, bem como a criação de "corredores humanitários" no país.

Muallem e Lavrov se reuniram no dia em que a coalizão opositora, mais dividida do que nunca, deve decidir sobre sua participação na conferência de paz. Alguns membros da Coalizão, com o Conselho Nacional Sírio (CNS) à frente, recusam-se a sentar-se à mesma mesa com representantes do regime de Damasco.

Enquanto os Estados Unidos pediram mais uma vez à Coalizão para enviar uma delegação para a Suíça, Lavrov disse que estava "muito preocupado" com a atitude da oposição no exílio. A conferência de Genebra II deve tentar encontrar uma solução política que poderia pôr fim à guerra civil na Síria, que já fez mais de 130 mil mortos e milhões de refugiados e deslocados desde março de 2011.


Bookmark and Share