Porto Alegre, domingo, 26 de Outubro de 2014

  • 23/01/2014
  • 18:44
  • Atualização: 18:52

Falta de água no presídio de Charqueadas deve ser resolvido na próxima semana

Caminhão pipa vai abastecer os detentos até instalação de pressurizador resolver o problema

  • Comentários
  • Samuel Vettori / Rádio Guaíba

O problema que causou desabastecimento de água na Penitenciária Modulada de Charqueadas (PMC) só deve ser resolvido no início da próxima semana. Técnicos da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) constataram que vai ser preciso instalar um pressurizador para que seja bombeada quantidade de água suficiente para o interior da unidade.

Durante esta quinta-feira, foi substituído um cano que leva água ao complexo. Técnicos da Corsan diziam que esse era o único problema, mas o resultado pretendido não foi confirmado. A colocação do pressurizador demora de dois a quatro dias, conforme a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe). Enquanto isso, um caminhão-pipa leva água para os detentos.

Pelo menos 266 presos fizeram greve de fome para reivindicar melhorias no abastecimento de água, desde segunda-feira, quando os cortes começaram. A Susepe garante que o protesto já foi encerrado. A Modulada de Charqueadas soma 1.226 apenados, quase o dobro da capacidade, que é de 726 vagas.


Bookmark and Share