Correio do Povo

Porto Alegre, 24 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
18ºC
Amanhã
11º 22º


Faça sua Busca


Notícias > Geral > Trânsito

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

29/01/2014 07:11 - Atualizado em 29/01/2014 08:41

Dia começa sem ônibus em Porto Alegre

Trabalhadores rodoviários impediram as saídas dos coletivos das garagens nesta manhã

Trabalhadores rodoviários impediram as saídas dos coletivos das garagens nesta manhã
Crédito: Tarsila Pereira

O terceiro dia de greve dos rodoviários promete ser o mais difícil para os usuários do transporte público. Diferente dos últimos dois dias, quando 30% da frota circulou pelas ruas da Capital, nesta quarta-feira a paralisação é total. Apenas três coletivos saída da garagem da Carris para atender a funcionários dos hospitais de Pronto Socorro e Presidente Vargas.

• TCE promete divulgar “em breve” inspeção sobre transporte público
• Presidente da EPTC admite existência de transporte clandestino durante a greve

Desde as primeiras horas da manhã, trabalhadores rodoviários estão na frente das garagens das empresas impedindo a saída dos ônibus. Os rodoviários contam com o apoio de cerca de 50 integrantes do Bloco de Lutas, que são favoraveis à greve.

Durante a madrugada, três veículos da Carris (linhas 653, 705 e 795) foram atingidos por pedras enquanto voltavam para a garagem. A empresa Sudeste também teve ônibus apedrejados. O caso ocorreu ainda na noite de terça-feira. Logo após a confirmação de que haveria greve total nesta quarta, usuários do transporte coletivo insatisfeitos com a decisão atiraram pedras contra os vidros de cinco coletivos da empresa nas avenidas Bento Gonçalves e João Oliveira Remião, na zona Leste da Capital.

Greve em resposta à decisão do TRT

No início da tarde dessa terça-feira, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) determinou que os rodoviários deveriam colocar 70% da frota nas ruas a partir das 17h de terça-feira nos horários de pico, já que apenas 30% dos ônibus estavam sendo usados por conta da greve da categoria. Em pedido liminar anterior, o município havia reivindicado declaração de abusividade da greve, com o retorno imediato dos trabalhadores às suas funções para garantir garantir a circulação de 100% da frota. A decisão levou o Sindicato dos Rodoviários a decidir pela paralisação geral dos ônibus em Porto Alegre.

“Ficamos insatisfeitos com a reunião e a tentativa de mediação do TRT. Consideramos um abuso a determinação de 70% da frota, porque tira o sentido da nossa greve”, afirmou o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Júlio Gamaliel. “A partir de agora vamos recolher todos os ônibus e vai ser zero de frota”, completou ele. A paralisação total não tem previsão para terminar.

* Com informações da repórter Cintia Marchi

Bookmark and Share

Fonte: Correio do Povo







O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.