Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 03/02/2014
  • 16:31
  • Atualização: 17:06

Segue sem acordo reunião no TRT que tenta por fim à greve dos rodoviários

Desembargadora propôs aumento de 7,5%, mas empresas exigem que ônibus voltem a circular

  • Comentários
  • Samantha Klein/Rádio Guaíba

Segue sem acordo a audiência entre rodoviários e empresários que ocorre no Tribunal Regional do Trabalho, em Porto Alegre, desde as 14h. Os rodoviários aceitaram parcialmente proposta do Ministério Público do Trabalho, porém não querem por fim à greve, mas sim colocar 70% da frota em circulação nos horários de pico e 30%, nos demais horários.

A proposta do MPT visando por fim à greve previa reajuste de 7,5%, vale-refeição de R$19 e desconto de R$10 de contribuição do plano de saúde. Os empresários também fizeram nova oferta de reajuste de 7,5%, vale-refeição de R$18 e isenção de contribuição do plano de saúde.

Um trabalhador, que integra a comissão de negociação, revelou que a expectativa é de que um percentual de aumento salarial de 7.5% seja rejeitado pela assembleia dos rodoviários.

Mais cedo, a A desembargadora Ana Luiza Heineck Kruse propôs acordo prevendo 7,5% de reajuste, contribuição por funcionário no plano de saúde de R$ 10 e vale-refeição de R$18. Os empresários aceitaram conceder 7,5% de aumento, se a medida pusesse fim à greve. Já os trabalhadores queriam reajuste de 8,5% para cumprir a determinação da Justiça de colocar 70% da frota nas ruas e manter a negociação, o que é rejeitado pelos patrões.

Bookmark and Share