Porto Alegre, domingo, 23 de Novembro de 2014

  • 05/02/2014
  • 09:49
  • Atualização: 09:56

Sindicato admite preocupação com possível desmobilização dos rodoviários

Empresas de ônibus decidiram não pagar adiantamento enquanto seguir a greve

  • Comentários
  • Correio do Povo

Com o não pagamento por parte das empresas de ônibus do adiantamento de 40% dos salários dos trabalhadores, o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Júlio Gamaliel, teme que possa acontecer uma desmobilização na greve. Em entrevista à Rádio Guaíba na manhã desta quarta-feira, afirmou que o sindicato está preocupado com a situação, mas que busca manter os trabalhadores unidos a fim de conseguir êxito na pauta de reivindicações que gerou a paralisação dos ônibus em Porto Alegre.

• Ônibus tentam circular, mas voltam para garagem após apedrejamento

“Temos que ver até quando teremos pulmão para resistir a isso. Tem que ver se os trabalhadores têm dinheiro guardado para pagar suas contas. Tem gente que tem que pagar aluguel, tem que fazer o rancho. É uma preocupação do sindicato, mas queremos manter os trabalhadores mobilizados”, declarou Gamaliel.

Ainda nesta quarta-feira, rodoviários e empresários devem se reunir no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para mais uma tentativa de conciliação. Gamaliel evitou fazer projeção sobre perspectiva de acerto. Ele ressaltou que o sindicato não dará fim à paralisação sem a aprovação dos trabalhadores em assembleia.

“O que tem acontecido é que os trabalhadores chegam lá e não aceitam. Assembleia é assim, a maioria decide. Já é bem menor os que não aceitam, mas segue sempre a maioria vota contrário. Não tem divergência entre sindicato e lideranças. Não é o racha o problema, os trabalhadores que estão organizados e sabem o que querem”, finalizou.

Bookmark and Share