Porto Alegre, sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

  • 01/03/2014
  • 14:41
  • Atualização: 14:50

Conselho de Segurança da ONU fará reunião para discutir situação na Ucrânia

Senado russo aprovou o uso de tropas no país e aumentou o clima de tensão

  • Comentários
  • Agência Brasil

O Conselho de Segurança das Nações Unidas se reunirá neste sábado para uma segunda rodada de discussões em 24 horas devido à escalada de tensão na Ucrânia. O embaixador britânico nas Nações Unidas, Mark Lyall Grant, informou pelo Twitter que o encontro foi pedido de Londres. A reunião está marcada para a noite.

O uso de forças armadas pela Rússia em território ucraniano foi aprovado hoje por unanimidade pelo Conselho da Federação em Moscou, após um pedido apresentado pelo presidente Vladimir Putin, para autorizar “o recurso às Forças Armadas russas no território da Ucrânia, até a normalização da situação política no país”.

Antes disso, o chefe da Defesa da Ucrânia acusou a Rússia de ter enviado 6 mil soldados e 30 veículos blindados para a Crimeia, península pró-russa que tem sido alvo de tensões separatistas.

Protesto pró-Rússia

Hoje, mais de 10 mil pessoas participaram de um protesto em Donetsk, reduto do presidente deposto Viktor Yanukovytch, no leste da Ucrânia, contra as novas autoridades de Kiev. Muitos manifestantes levavam bandeiras russas, e uma foi colocada na sede da administração regional da cidade durante o ato.

"Rússia! Rússia!", gritavam os manifestantes ao ouvirem alguns líderes do movimento que subiram num palaque improvisado. Eles declaravam seu apoio "à aspiração da Crimeia de fazer parte da Rússia". Nos últimos dias, alguns homens armados invadiram diversos aeroportos e prédios administrativos da península pró-russa do sul da Ucrânia. O novo governo de Kiev denuncia "uma invasão russa".

Panfletos chamando a uma "desobediência" ao poder de Kiev foram distribuídos durante a manifestação. Originário da região, o presidente Viktor Yanukovytch foi deposto há uma semana pelo parlamento, após três meses de intensos confrontos no centro de Kiev, deixando 83 mortos em três dias, quando a situação se tornou mais crítica.

No centro de Sebastopol, porto da Crimeia que abriga a frota russa do mar Negro, cerca de 3 mil pessoas participaram de uma manifestação. "Sebastopol, Rússia", gritavam os participantes do ato, que empunhavam bandeiras russas.

Bookmark and Share