Correio do Povo

Porto Alegre, 29 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
10ºC
Amanhã
13º 24º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

12/03/2014 13:30 - Atualizado em 12/03/2014 13:31

Servidores reclamam da falta de segurança em posto de saúde no Rubem Berta

Secretaria Municipal da Saúde informou que local passa por ajustes administrativos circunstanciais

Os servidores da Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro Rubem Berta, na zona Norte de Porto Alegre, estão sem segurança privada desde o Carnaval. Os funcionários alegam estar com medo de trabalhar no local porque o posto fica em uma região violenta da cidade. A situação foi denunciada pelos trabalhadores a diretoria do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), que visitou o posto. Na manhã desta quarta, funcionários que não quiseram ser identificados disseram que o local permanecia sem vigilante.

O diretor do Simers, Jorge Eltz de Souza, informou que os trabalhadores relataram que o fato ocorre há uma semana, desde o retorno do Carnaval, no dia 5 de março. Os trabalhadores reclamam também que o alarme, ligado direto na Guarda Municipal, não funciona. A unidade fica aberta das 7h às 22h.

Os servidores também denunciaram a demora para conseguir consulta com especialistas. Somente na UBS Rubem Berta, segundo o sindicato, 130 usuários esperam há mais de três anos por uma consulta com um psiquiatra. Na fila da neurologia, estão 100 pessoas. A demora por um proctologista é de quase dois anos. Na visita ao posto de saúde do Rubem Berta, a direção do sindicato foi impedida de entrar na unidade de saúde para conversar com os funcionários sobre os problemas da unidade.

Conforme Souza, outros postos da rede municipal de saúde também enfrentam o mesmo problema. O porteiro da UBS Macedônia, no bairro Restinga, foi agredido por um usuário, devido à falta de medicamento e teve o nariz quebrado. Segundo o diretor do sindicato, as agressões verbais também aumentaram muito nos últimos três meses, agravada pela falta de medicamentos básicos na farmácia, como Sinvastatina (colesterol), Paracetamol (febre e dor), Omeprazol (úlcera e gastrite) e remédios para hipertensão e diabete.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) informa, através de nota oficial, que a UBS Rubem Berta, assim como outras unidades de saúde, passa por ajustes administrativos circunstanciais. Os porteiros atuam, momentaneamente, tanto na recepção dos usuários, quanto na observação da movimentação na área de entrada das unidades. São dois porteiros, que atuam das 7h às 15h e das 15h às 22h.

Bookmark and Share

Fonte: Cláudio Isaías / Correio do Povo





» Tags:Saúde Geral

O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.