Porto Alegre, sábado, 25 de Outubro de 2014

  • 12/03/2014
  • 19:21
  • Atualização: 19:52

Secretário diz ter identificado professor de E. Física depredando Tesourinha

Responsável pela pasta municipal de Esporte, Meurer informou caso à Procuradoria do município

Secretário diz ter identificado professor de Educação física depredando Tesourinha | Foto: Thalles Campos / PMPA / CP

Secretário diz ter identificado professor de Educação física depredando Tesourinha | Foto: Thalles Campos / PMPA / CP

  • Comentários
  • Samuel Vettori / Rádio Guaíba

O secretário municipal de Esportes, José Edgar Meurer, disse ter identificado um professor de Educação Física da rede estadual ao analisar imagens do vandalismo registrado no Ginásio Tesourinha na segunda-feira. Ele disse que já informou o caso à Procuradoria do município para que o órgão encaminhe o reconhecimento à Polícia Civil. 

O secretário não revelou o nome do professor visto. Segundo ele, o profissional estava danificando a rede que separa a área de esportes da arquibancada. Meurer está fazendo um relatório com base na análise das imagens da audiência pública gravadas por câmeras de segurança. “Atuo há muito tempo nesse setor (de esportes) e conheço o pessoal do meio. As imagens são claras. Inclusive um amigo disse a pessoa é professor do seu irmão”, detalhou.

O caso é investigado pela 1ª Delegacia de Polícia, que ainda analisa imagens cedidas pela Prefeitura sobre a audiência pública que acabou não sendo realizada. A ideia era debater o transporte coletivo durante o encontro. Seis pessoas já foram identificadas e serão indiciadas. A depredação do local vai custar entre R$ 50 mil e R$ 70 mil. A Secretaria Estadual de Educação, por meio da assessoria de imprensa, informou que não vai se manifestar sobre o caso.

Investigação

A polícia destacou que a colaboração de pessoas que viram a depredação no ginásio está sendo fundamental para chegar aos nomes. Outro fator que ajuda o trabalho de investigação é o fato de a organização da audiência pública ter exigido a identificação de cada um dos que entraram no local. Com nomes completos dos suspeitos e número do documento de identidade ficou mais fácil chegar aos que serão indiciados, disse o delegado Paulo César Jardim, titular da 1ª Delegacia de Polícia da Capital.

O policial alertou que o trabalho está só começando e que mais pessoas estão sendo identificadas. As imagens feitas por equipes de TV, de câmeras de segurança do ginásio, da EPTC e da Segurança Pública também estão sendo importantes para a investigação, comentou. As pessoas identificadas cometendo atos de vandalismo responderão criminalmente por colocar em risco à vida dos que estavam no ginásio e por danos ao patrimônio público. A pena é de três a seis anos de prisão.

Bookmark and Share