Porto Alegre, sábado, 1 de Novembro de 2014

  • 13/03/2014
  • 14:30
  • Atualização: 14:42

Funcionários dos Correios encerram a greve no RS

Após assembleia de quatro horas, categoria decidiu retornar aos trabalhos nesta sexta

  • Comentários
  • Cláudio Isaías / Correio do Povo

Depois de quatro horas de assembleia nesta quinta, os funcionários dos Correios decidiram pelo fim da greve. Reunidos na igreja da Pompeia, no Centro da Capital, a categoria decidiu por unanimidade voltar ao trabalho nesta sexta. A direção do Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos do Rio Grande do Sul (Sintect/RS) informou que a categoria permanecerá mobilizada até o dia 8 de abril. Neste dia, ocorre o julgamento de um ação relativa ao plano de saúde dos Correios no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) em Brasília.

A greve iniciou no dia 29 de janeiro porque os servidores não aceitaram as mudanças no plano de saúde. Na quarta-feira, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) julgou abusiva a greve da categoria que ocorre em 14 estados do Brasil. Caso não voltassem ao trabalho, os funcionários estariam sujeitos a multa diária de R$ 20 mil a ser paga pela Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios , Telégafros e Similares (Fentect). A paralisação dos Correios durou 42 dias.

De acordo com o último levantamento apresentado pelos Correios do Brasil, 96,10% do efetivo da estatal não aderiu à paralisação. No Rio Grande do Sul, a empresa informou que somente 10,86% dos funcionários paralisaram as atividades, o que correspondeu a 946 trabalhadores. No entanto, o Sintect/RS afirmou que 70% dos funcionários aderiram ao movimento no Estado.

A paralisação, que já durava 43 dias no Rio Grande do Sul, foi considerada abusiva pelo TST, que determinou o corte de 15 dias no ponto dos trabalhadores. Os outros 27 dias em greve poderão ser compensados nos próximos seis meses. Conforme a direção do Sintect/RS, ficou definido também que o sindicato seguirá em estado de greve, pressionando por melhores salários e mudanças no plano de saúde.

A entrega das correspondências deve ser normalizada a partir desta sexta-feira no Estado. A superintendência regional dos Correios informou que todas as agências estão abertas e todos os serviços, inclusive o Sedex, estão disponíveis - com exceção dos serviços de entrega com hora marcada em algumas localidades.

Bookmark and Share


TAGS » Greve, Correios, Geral