Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

  • 17/03/2014
  • 08:32
  • Atualização: 08:43

PF combate lavagem de dinheiro em seis estados e DF

Operação Lava Jato investiga operações ilegais que superam R$ 10 bilhões

  • Comentários
  • Correio do Povo

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta segunda-feira a operação Lava Jato para desarticular quadrilhas especializadas em lavagem de dinheiro que atuam em seis estados, incluindo o Rio Grande do Sul, e no Distrito Federal. As operações ilegais superam o montante de R$ 10 bilhões, de acordo com informações fornecidas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF/MF). 

Devem ser cumpridos 81 mandados de busca e apreensão, 18 mandados de prisão preventiva, 10 mandados de prisão temporária e 19 mandados de condução coercitiva, em 17 cidades: Curitiba, São José dos Pinhais, Londrina e Foz do Iguaçu no Paraná; São Paulo, Mairiporã, Votuporanga, Vinhedo, Assis e Indaiatuba em São Paulo; Brasília, Águas Claras e Taguatinga Norte no Distrito Federal; Porto Alegre no Rio Grande do Sul;  Balneário Camboriú em Santa Catarina; Rio de Janeiro no Rio de Janeiro; e Cuiabá em Mato Grosso.

Devem ser cumpridos também ordens de seqüestro de imóveis de alto padrão, além da apreensão de patrimônio adquirido por meio de práticas criminosas, e bloqueio de dezenas de contas e aplicações bancárias. Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal no Estado do Paraná. A operação conta com a participação de aproximadamente 400 policiais federais.

O grupo investigado além de envolver alguns dos principais personagens do mercado clandestino de câmbio no Brasil é responsável pela movimentação financeira e lavagem de ativos de diversas pessoas físicas e jurídicas envolvidas com crimes como o tráfico internacional de drogas, corrupção de agentes públicos, sonegação fiscal, evasão de divisas, extração, contrabando de pedras preciosas, desvios de recursos públicos, dentre outros.

A operação foi intitulada Lava Jato porque um dos grupos fazia uso de uma rede de lavanderias e postos de combustíveis para movimentar os valores oriundos de práticas criminosas.

Bookmark and Share