Correio do Povo

Porto Alegre, 22 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
20ºC
Amanhã
14º 23º


Faça sua Busca


Notícias > Geral > Saúde

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

20/03/2014 13:29 - Atualizado em 20/03/2014 13:39

Funcionários do GHC paralisam atividades até as 19h desta quinta-feira

Somente casos com pacientes de gravidade extrema e consultas de maior complexidade serão atendidos

Somente casos com pacientes de gravidade extrema e consultas de maior complexidade serão atendidos<br /><b>Crédito: </b> Samuel Maciel
Somente casos com pacientes de gravidade extrema e consultas de maior complexidade serão atendidos
Crédito: Samuel Maciel
Somente casos com pacientes de gravidade extrema e consultas de maior complexidade serão atendidos
Crédito: Samuel Maciel

Nesta quinta-feira, os funcionários dos hospitais Conceição, Cristo Redentor, Fêmina e Criança Conceição,
paralisarão suas atividades até as 19h. O atendimento ao público nos hospitais, na UPA 24 Horas e nos 14 postos de saúde da rede de postos mantida pelo GHC irá ocorrer somente casos de gravidade extrema e consultas agendadas de maior complexidade.

O presidente da Associação dos Servidores do GHC (Aserghc), Valmor Guedes, informou que os servidores poderão paralisar suas atividades a partir do dia 27 de março por tempo indeterminado caso os funcionários não consigam negociar com a administração do GHC. Eles reivindicam um aumento salarial de 4% e equiparação do vale-alimentação aos funcionários do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, considerado referência para os trabalhadores federais.

O presidente do Sindisaúde, Arlindo Nelson Ritter, disse que a categoria formada por cerca de oito mil funcionários reivindica também a retomada da discussão com a direção do hospital sobre a jornada de 30 horas e o pagamento de anuênios e das gratificações. “Os servidores defendem a contratação de novos funcionários através de concurso público e plano de saúde para todos os servidores e familiares”, destacou. Segundo Ritter, os funcionários reivindicam a realização de eleições diretas para chefia, diretores e gestores.

Hospital de Pronto Socorro

Os médicos dos hospitais de Pronto Socorro (HPS) e do Materno Infantil Presidente Vargas, e dos pronto atendimentos Cruzeiro do Sul, Bom Jesus e Lomba do Pinheiro decidiram em assembleia realizar uma paralisação de 48 horas, proposta pelo Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa). A paralisação deve durar das 8h da próxima quarta-feira, dia 26, até 8h da sexta-feira, dia 28.

Além dos médicos, funcionários dos postos de saúde também podem aderir à mobilização por melhores condições de trabalho. Os municipários declaram que não são atendidos pela prefeitura para negociar a pauta de reivindicações, que inclui o adicional de insalubridade grau máximo, solução para o corte do repouso remunerado e abertura de concurso público para suprir a carência de profissionais nas unidades, além da convocação dos já aprovados em concursos vigentes.

Bookmark and Share


Fonte: Correio do Povo






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.