Porto Alegre, sábado, 20 de Dezembro de 2014

  • 24/03/2014
  • 14:35
  • Atualização: 15:12

Famílias foram avisadas por SMS sobre queda do Boeing

Premiê malaio anunciou nesta segunda que o voo da Malaysia Airlines, desaparecido há 15 dias, caiu no Índico

Companhia informou aos familiares que não há sobreviventes | Foto: Goh Chai Hin / AFP

Companhia informou aos familiares que não há sobreviventes | Foto: Goh Chai Hin / AFP

  • Comentários
  • Correio do Povo e Agência Brasil

De acordo com a empresa britânica BBC, a Malaysia Airlines enviou mensagem de texto (SMS) às famílias informando que não houve sobreviventes na queda do Boeing. "A Malaysia Airlines está profundamente triste pelo fato de que temos que informar, sem dúvida, que perdemos o voo MH370 e nenhuma das pessoas a bordo sobreviveu. Como vocês ouvirão do primeiro-ministro da Malásia na próxima hora, nós devemos aceitar todas as evidências que apontam que o avião caiu no Oceano Índico", dizia a mensagem.

Adrienne Mong, da ABC News, conseguiu a mensagem:


Confira o anúncio completo feito pelo primeiro-ministro da Malásia:
"Nessa noite, eu recebi informações do Air Accident Investigation Branch (AAIB), do Reino Unido. Eles me informaram que a Inmarsat, a companhia inglesa que forneceu os dados do satélite que analisou as áreas norte e sul, realizou novos cálculos sobre os dados coletados, usando um tipo de cálculo inédito em casos desse tipo.

Esses dados jogaram mais luz sobre o caso do voo MH370. Baseando-se nessa análise, a Inmarsat e a AAIB concluíram que o MH370 voou pelo corredor sul e sua última posição foi o meio do Oceano Índico, a oeste de Perth (Austrália).

Essa é uma região remota, muito longe de qualquer local para pouso. Portanto, é com profunda tristeza e pesar que eu devo informá-los, de acordo com esses novos dados, que o voo MH370 acabou no sul do Oceano Índico.

Nós daremos uma coletiva de imprensa amanhã com mais detalhes. Nesse intervalo, nós pretendemos informar qualquer novidade o mais urgente possível.

Nós compartilhamos essas informações pensando no comprometimento com as famílias e a transparência para com elas – dois princípios que guiaram as investigações.

A Malaysia Airlines já conversou com os familiares dos passageiros e da tripulação para informá-los desses novos fatos.

As últimas semanas foram devastadoras. E eu sei que essa notícia é tão dura quanto.

Eu imploro à mídia para respeitar a privacidade das famílias e permitir que elas tenham o espaço que necessitam em uma hora difícil como essa."

Entenda o caso

Um avião da Malaysia Airlines com 239 pessoas – 227 passageiros (entre esses, duas crianças) e 12 tripulantes – a bordo, que seguia para Pequim, perdeu contato com o controle de tráfego aéreo depois de deixar a capital malaia, Kuala Lumpur, informou a companhia. Pessoas de 13 nacionalidades diferentes estariam a bordo da aeronave.

Em nota, a empresa declarou que o voo MH370 desapareceu às 2h40min no dia 8 de março, horário local (15h40min de sexta em Brasília). O avião, um Boeing 777-200, deixou Kuala Lumpur logo após a meia-noite de sábado, com previsão de chegada a seu destino às 6h30min de sábado, no horário local (19h30min de sexta, em Brasília).

Durante entrevista coletiva em 15 de março o primeiro-ministro Najib Razak confirmou que o sistema de transmissão de dados do Boeing 777 teria sido desativado intencionalmente. A aeronave voou durante mais de seis horas depois de sumir dos radares. O número de países que ajudaram nas buscas chegou a 25 em 16 de março. No início se acreditou que o avião teria sido desviado de forma "intencional.







Bookmark and Share