Correio do Povo

Porto Alegre, 22 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
9ºC
Amanhã
19º 30º


Faça sua Busca


Notícias > Geral > Saúde

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

27/03/2014 07:29 - Atualizado em 27/03/2014 07:35

Trabalhadores do GHC deflagram greve por tempo indeterminado

Paralisação atinge quatro hospitais de Porto Alegre

Os porto-alegrenses enfrentam nesta quinta-feira um dia complicado na área da saúde pública. Simultaneamente, o atendimento em sete hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS) estará prejudicado em função da paralisação de funcionários. Além da greve envolvendo os servidores municipais, os trabalhadores do Grupo Hospitalar Conceição (GHC) paralisaram as atividades desde às 7h. O movimento deve prejudicar o atendimento nos hospitais Cristo Redentor, Fêmina, Nossa Senhora da Conceição e Criança Conceição.

A greve por tempo indeterminado envolve praticamente todas as categorias, com exceção dos médicos e odontólogos. Segundo o presidente da Associação dos Servidores do GHC, Valmor Guedes, a adesão se dará respeitando os pacientes que já estão em atendimento e as áreas mais graves, como UTI.

O movimento conta com o apoio de nove sindicatos. Na manhã de ontem, representantes sindicais e a direção do grupo se reuniram para discutir uma maneira de evitar a greve, mas não houve acordo. De acordo com a presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Rio Grande do Sul, Cláudia Santos, os profissionais esperavam uma proposta real por parte da direção. "Estamos discutindo ainda as pendências da greve de 2012, que envolve a redução da carga horária, pagamentos de anuênios e isonomia entre as categorias. Sem propostas, a greve segue", disse ela.

Segundo o gerente de apoio do GHC, Gerson Almeida, que participou da reunião, a posição dos sindicalistas em não negociar causou surpresa. "O diálogo deve ser permanente para construirmos a melhor proposta. O Grupo Hospitalar Conceição já destina 84% de seu orçamento para pagar pessoal. Temos um limite", afirmou. Para agravar ainda mais o quadro, os profissionais do Hospital de Clínicas também anunciaram paralisação. A direção da instituição não se manifestou sobre a greve.

Bookmark and Share


Fonte: Correio do Povo






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.