Correio do Povo

Porto Alegre, 2 de Outubro de 2014


Porto Alegre
Agora
20ºC
Amanhã
14º 21º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

31/03/2014 11:33 - Atualizado em 31/03/2014 11:56

Funcionários da CEEE rejeitam proposta e greve continua

Grupo protestou em frente à sede da empresa em Porto Alegre

Grupo protestou em frente à sede da empresa
Crédito: André Ávila

No final da manhã desta segunda-feira, os funcionários da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) realizaram nova assembleia, decidindo pela manutenção da greve. Na negociação, a CEEE ofereceu aumento do valor do bônus alimentação dos atuais R$ 800 para R$ 845 e do reembolso do plano de saúde de R$ 275 para R$ 295, além da reposição do INPC (5,38%) no salário básico de todas as categorias. Em relação ao bônus alimentação, os profissionais pediram aumento para R$ 1,2 mil, o mesmo valor concedido aos funcionários do Banrisul.

Depois de 21 anos, os trabalhadores deflagraram greve geral nesta segunda. No início da manhã, um grupo de cerca de 100 funcionários das áreas operacional e atendimento protestaram em frente à sede da empresa, na avenida Joaquim Porto Villanova, no bairro Jardim Carvalho. Com faixas e distribuindo material informativo, os funcionários rejeitaram a proposta da empresa na negociação salarial.

Por ser um serviço essencial, o Sindicato dos Eletricitários do Rio Grande do Sul (Senergisul), informou que foram mantidos 30% no atendimento aos clientes (pelo Call Center) e dos serviços de emergência. De acordo com a Senergisul as agências localizadas em Porto Alegre, em Viamão e Alvorada não abriram as portas nesta segunda-feira.

O presidente do Sindicato, Danilo Garcia, destacou que a greve é o resultado de um longo processo de desvalorização dos funcionários. Ele citou, por exemplo, que no ano passado não houve o pagamento do PPR (Programa de Participação nos Resultados). Além disso, os profissionais pedem reajuste no vale-refeição e no plano de saúde.

A CEEE conta com 4,5 mil funcionários, 2 mil atuam na área operacional. Segundo a CEEE, o Senergisul foi o único, entre os 13 sindicatos, que não aceitou a proposta da empresa, dando início à greve. Em nota, o Grupo CEEE informa que está tomando todas as medidas para que os grevistas, no exercício de seu direito de greve, não impeçam os demais trabalhadores de cumprirem suas jornadas.

Bookmark and Share


Fonte: Mauren Xavier / Correio do Povo





» Tags:Greve Geral CEEE

O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.