Porto Alegre, segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

  • 31/03/2014
  • 17:29
  • Atualização: 18:47

Vereadores aprovam projeto do Parque Gasômetro

Proposta delimita área para efetivar região de lazer no Centro Histórico de Porto Alegre

Vereadores aprovam projeto do Parque Gasômetro | Foto: Elson Sempé Pedroso / CMPA / CP

Vereadores aprovam projeto do Parque Gasômetro | Foto: Elson Sempé Pedroso / CMPA / CP

  • Comentários
  • Cíntia Marchi / Correio do Povo

Depois de tentativas frustradas, o projeto de lei do Executivo que propõe a instituição do Corredor Parque do Gasômetro foi aprovado nesta segunda-feira por unanimidade, na Câmara Municipal de Porto Alegre. A criação está prevista desde 2009, quando foi aprovada pelos vereadores a revisão do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Ambiental. Protocolado na Câmara em dezembro de 2013, a proposta prevê a delimitação física do parque e os objetivos de estruturação e qualificação da área, em especial dos espaços naturais e de preservação do patrimônio cultural.

Pela proposta, o corredor ficará dividido em duas áreas. A primeira compreende o Museu do Trabalho e seu entorno, a praça Brigadeiro Sampaio, junto à rua dos Andradas, a avenida Siqueira Campos, a rua General Portinho e a avenida Presidente João Goulart. Na outra, na região da praça Júlio Mesquita, o alcance chega à avenida Siqueira Campos, rua Vasco Alves, rua Washington Luiz, avenida Presidente João Goulart, rua General Salustiano, avenida Loureiro da Silva e Usina do Gasômetro.

Emendas

Antes de a matéria ir à votação, seis emendas foram discutidas. Duas delas foram rejeitadas e repercutiu mal entre o público presente. Uma delas determinava a integração das praças e da orla por meio do rebaixamento da avenida Presidente João Goulart. Também foi rejeitada a emenda que estabelecia que a qualificação do Parque do Gasômetro tivesse projeto escolhido em concurso público. Ambas as emendas foram propostas pelos vereadores do PT, Engenheiro Comassetto, Sofia Cavedon e Mauro Pinheiro.

A representante da Associação dos Moradores do Centro Histórico, Mara Barcellos, acredita que a não aprovação do rebaixamento da avenida Presidente João Goulart é algo “grave”. “A velocidade dos veículos é alta naquele trecho e o não rebaixamento impede a integração de todo o parque”, observou.

Em contrapartida, foram aprovadas emendas que atenderam as reivindicações da comunidade. Uma delas proíbe o estacionamento na praça Júlio Mesquita. A proposta é de autoria do vereador Professor Garcia (PMDB). Outra determina uma solução urbanística para articular os espaços do parque e propiciar aos pedestres e às pessoas com deficiência o deslocamento fácil e seguro no seu interior. Esta é de autoria do vereador Airto Ferronato (PSB).

A última emenda aprovada prevê que a Usina do Gasômetro será considerada peça integrante do futuro parque. A proposta foi apresentada por Ferronato.


Bookmark and Share