Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

  • 03/04/2014
  • 16:33
  • Atualização: 17:10

Comandante desiste de ouvir ex-mulher de dono da Hidramix

Empresa instalou barras na boate Kiss e teria sido facilitada por bombeiros

  • Comentários
  • Renato Oliveira / Correio do Povo

O chefe do 4º Comando Regional de Bombeiros, o tenente-coronel Marcelo Gonçalves Maya, afirmou nesta quinta-feira que desistiu de ouvir a ex-mulher do bombeiro Roberto Flávio Silveira, proprietário da empresa Hidramix, responsável por obras previstas no Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI) da boate Kiss. O coronel contou que foram “várias tentativas de contatos” com Gilceliane Freitas Dias, de 36 anos.

Na semana passada, Gilceliane procurou o delegado de policia, Sandro Meinerz, para denunciar tráfico de influência na corporação. Segundo o depoimento dela para a Polícia Civil, os bombeiros escalados para a vistoria sobre prevenção de incêndio teriam sugerido a Hidramix para o trabalho. Caso a sugestão fosse aceita, eles receberiam 10% sobre o valor cobrado.

De acordo com o comandante dos Bombeiros, nas tentativas de marcar uma data para que a mesma prestasse depoimento, o telefone não foi atendido. “Fomos até a residência dela mas sempre quem aparecia era um parente”, lembrou Maya. “Assim, estamos desistindo do depoimento e vamos esperar a abertura de mais um Inquérito Policial Militar pela Brigada Militar a fim de investigar as denúncias”, acrescentou.

A Hidramix instalou barras antipânico na casa noturna onde ocorreu a tragédia em 2013, que causou a morte de 242 pessoas, a maioria jovens universitários.Também nesta quinta-feira o delegado Meinerz informou que os documentos que foram entregues na semana passada pela ex-mulher do bombeiro continuam sendo uma analisados.

Bookmark and Share