Porto Alegre, segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

  • 09/04/2014
  • 13:46
  • Atualização: 13:55

Animais de estimação tiram passaporte para viajar pelo Mercosul

Documentos são emitidos no Aeroporto Internacional Salgado Filho

  • Comentários
  • Karina Reif / Correio do Povo

Desde a semana passada, dois animais de estimação já fizeram passaporte em Porto Alegre para viajar pelo Mercosul. As donas de uma gata e uma cadela aproveitaram a oportunidade de tornar o transporte menos burocrático e encaminharam os pedidos. Ambas exibiram os documentos das pets nesta quarta-feira no Aeroporto Internacional Salgado Filho, onde eles são emitidos. A primeira beneficiada foi Palmirinha, uma vira-lata resgatada da rua no ano passado pela médica veterinária Tânia Preger, 43 anos. As próximas férias estão garantidas. “Tenho outros sete cães, mas eles são mais velhinhos. Quero levar ela para Punta del Este”, ressaltou.

A cadela só pôde receber o passaporte, porque tinha um chip de identificação exigido para todos os cães e gatos em viagens internacionais. “O requerimento e o agendamento é feito pela internet”, explicou a chefe da Unidade de Vigilância Agropecuária (Uvagro), Consuelo Paixão Côrtes. Ela disse que o documento reúne informações de toda a vida  sanitária do animal. Portanto, diminui a burocracia. A unidade de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) no Aeroporto Salgado Filho precisou ter a recepção aumentada e o setor recebeu um leitor de microchips para identificar os pets. O prazo máximo para a entrega é de 30 dias. O passaporte pode ser obtido em outras três cidades do Estado, além  de Porto Alegre: Chuí, Uruguaiana e Santana do Livramento.

Por enquanto, o documento só pode ser usado nos países do Mercosul - a Argentina, o Paraguai, Uruguai e a Venezuela -, que têm acordo de equivalência com o Brasil. Porém, a tendência é de que a receptividade dele seja ampliada. Para a circulação em outros territórios, por enquanto, ainda é exigido o Certificado Zoosanitário Internacional (CZI). Pode ser  usado também em viagens domésticas, substituindo o atestado de saúde animal.

A implantação do chip, que custa em média R$ 120 pode ser feita em clínica particular à escolha do proprietário. O Ministério da Agricultura espera que o tempo de liberação em embarques, desembarques e conexões, que atualmente é cerca de 40 minutos, seja reduzido.

A dona do segundo animal a obter passaporte em Porto Alegre, Ana Paula Vaz dos Santos, 30 anos, disse que a gata Xannô é sua companheira para todas as horas e agora pode acompanhá-la também nas férias sem tanta burocracia. “O processo é bem mais rápido”, explicou.

Bookmark and Share